Síndrome de Fournier


A síndrome de Fournier é uma doença pouco comum, com poucos casos relatados na literatura, mas que deve ser tratada de maneira adequada, já que pode evoluir muito rápido, causando, inclusive, a falência de múltiplos órgãos e podendo também levar o paciente a óbito. Neste artigo, iremos explicar e mostrar o que é a síndrome de Fournier e como é possível tratar este problema.

O que é a síndrome de Fournier?

A chamada síndrome de Fournier é uma infecção polimicrobiana causada tanto por bactérias aeróbias quanto por bactérias anaeróbias que geram um tipo de fasciíte necrotizante. Estas bactérias atuam, principalmente, nas regiões genitais, perineal e perianal.

O urologista francês Jean Alfred Fournier, em trabalhos publicados entre os anos de 1863 e 1864, relatou, com muitos detalhes, este problema, sendo feita uma homenagem ao mesmo para dar o nome a esta doença, podendo ser chamada também como gangrena de Fournier.

A síndrome de Fournier se inicia com uma trombose vascular subcutânea e com a necrose dos tecidos que ocorrem devido ao efeito sinérgico das bactérias. A necrose que acontece nos tecidos, por sua vez, amplia ainda mais a entrada de outras bactérias em áreas que ainda não foram afetadas, aumentando o problema de maneira considerável.

Síndrome de Fournier

Isto significa que a síndrome de Fournier se caracteriza por rápida evolução, causando diversas complicações ao paciente como a ocorrência de sepse, de falência de múltiplos órgãos e, por fim, podendo até levar o paciente a óbito, já que o não tratamento pode fazer com que o problema se estenda rapidamente à parede abdominal, à região dorsal, aos membros superiores, entre muitos outros locais.


A síndrome de Fournier acontece mais em indivíduos do sexo masculino, afetando, porém, todas as faixas etárias. Esta é uma doença relativamente incomum, sendo relatados apenas em torno de 300 casos até 1984 na literatura científica.

Algumas doenças sistêmicas parecem fazer parte dos fatores de risco para a síndrome de Fournier, entre elas temos a diabetes mellitus que foi identificada em 40% a 60% dos pacientes, o alcoolismo que foi identificado em 25% a 50% dos casos, além também da obesidade, do tabagismo e da hipertensão arterial.

As doenças que afetam diretamente o sistema imunológico, como é o caso da infecção pelo vírus HIV, ou mesmo outras condições, também são consideradas fatores de risco para aumentar o desenvolvimento deste tipo de gangrena.

Veja, a seguir, alguns dos principais tipos de tratamentos para a síndrome de Fournier:

Uso de medicamentos antimicrobianos

O tratamento com o uso de medicamentos antimicrobianos deve ser realizado assim que o diagnóstico for estabelecido e deve ser feito em conjunto com o tratamento cirúrgico.

O tipo de medicamento a ser utilizado dependerá da gravidade da infecção, devendo ser feito de tal maneira que haja uma cobertura adequada tanto da infecção por bactérias aeróbias quanto por bactérias anaeróbias.

Tratamento cirúrgico

O objetivo do tratamento feito com cirurgia é realizar a remoção de todo o tecido necrótico, interrompendo, assim, o desenvolvimento do processo infeccioso e diminuindo os efeitos tóxicos sistêmicos da síndrome de Fournier.

A quantidade de cirurgias a serem realizadas para resolver o problema dependerá da situação de cada paciente e da intensidade do mesmo, feitas com a intenção de controlar por completo a infecção.

O procedimento cirúrgico também visa a reconstrução das regiões afetadas com sutura simples, com o uso de retalhos e de enxertos, principalmente nas lesões mais extensas, fornecendo nova vascularização e elasticidade à região danificada.

Oxigenoterapia hiperbárica

Este é outro tratamento que deve ser feito em conjunto com os tratamentos anteriores. A terapia hiperbárica ajuda na redução da necrose e também ajuda a reduzir os índices de mortalidade e de morbidade.

O foco deste tratamento é minimizar a atuação das bactérias aeróbias, promovendo a cicatrização das feridas e acelerando a recuperação do paciente, melhorando também a resposta dos outros tipos de tratamentos.

Considerações Finais

A síndrome de Fournier é um problema de consequências graves, podendo causar a falência múltipla dos órgãos e até mesmo o óbito do paciente. Se a doença for diagnosticada corretamente e de maneira inicial poderá ser resolvida com tratamento adequado.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (10 votes, average: 4,10 out of 5)
Loading...