Espinha no pênis


Muitos homens se deparam com espinha no pênis e ficam sem entender qual a causa do seu aparecimento.

Como muitas doenças sexualmente transmissíveis (DST) podem apresentar vários sintomas entre eles carocinhos, espinhas, verrugas, feridas e nestes casos é comum que o homem se preocupe quando encontra a espinha no pênis.

Encontrar espinha no pênis é até comum, principalmente quando se é adolescente e está na fase da puberdade. Neste caso se você usa camisinha em todas as suas relações sexuais, pode ficar tranquilo em relação as doenças sexualmente transmissíveis. Na base do pênis e no saco escrotal também pode ocorrer o aparecimento de espinhas. Entretanto caso a incidência do aparecimento de espinha no pênis procure um médico urologista.

Muitas vezes o que o homem vê e acredita ser uma espinha no pênis, na verdade á a glândula de Tyson.

Glândula de Tyson pode ser confundida como espinha no pênis

Todos os homens possuem a glândula de Tyson no pênis. Elas estão localizadas entre o prepúcio e a glande do pênis, popularmente conhecida como cabeça do pênis.

Em volta da cabeça do pênis pode surgir uma série de pontos brancos que se parecem com espinhas. A glândula de Tyson é facilmente confundida com espinha no pênis, pois em algumas épocas do ano, principalmente nas mais quentes, elas ficam maiores e bem mais visíveis. Porém em poucos dias elas retornam ao tamanho normal. Vale ressaltar que elas não se multiplicam, não causam dor, nem coceira.


Em certos casos as glândulas de Tyson ficam muito mais aparentes e formam uma coroa de espinhas em volta da glande. Embora não traga nenhum tipo de problema durante o ato sexual, muitos homens se envergonham por causa da aparência. A maioria fica constrangida e com receio da parceira ou parceiro pensar que se trata de alguma doença sexualmente transmissível. Contudo a espinha no pênis e/ou glândula de Tyson não é uma DST.

Qual a função da glândula de Tyson?

A glândula de Tyson tem como principal função a secreção de substâncias para a proteção do órgão genital masculino e auxiliam na lubrificação do pênis para facilitar a penetração. O acumulo da excreção forma secreção, sendo conhecida como esmegma. O esmegma tem aparência esbranquiçada e fica acumulada entre a glande e o prepúcio, quando a higienização do pênis não é bem feita, o esmegma causa mau cheiro e pode provocar infecções no pênis.

Tratamento

Espinha no Pênis? Não, provavelmente é Glândula de Tyson!

Por causa da aparência e por questão de estética, muitos homens buscam tratamento para eliminar as espinhas causadas pelas glândulas de Tyson. Alertamos que embora pareça uma espinha no pênis o tratamento não deve ser o mesmo empregado para cura da acne e de que não se deve tentar espremer ou remover as mesmas sem auxílio médico.

O urologista é que vai fazer o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento. O tratamento mais usual é a eletrofulguração e/ou cauterização da espinha do pênis, que pode ser feita em ambulatórios com o uso de anestesia local. Chama-se de eletrofulguração o ato de extirpar um tecido vivo com uma centelha elétrica fornecida por uma corrente de alta frequência.

Previna-se, sexo seguro garante sua saúde e qualidade de vida

A prevenção é sempre o melhor remédio, por isso use sempre camisinha durante as relações sexuais. O uso da camisinha além de prevenir a contaminação pelo HIV, também evita o contagio pelas doenças sexuais transmissíveis – DST.

Procure orientação médica

Evite adotar soluções caseiras na tentativa de eliminar as glândulas de Tyson e/ou espinha no pênis. Assim que você encontrar uma espinha no pênis, o ideal é procurar um urologista. Embora na maioria das vezes a espinha no pênis não apresente um risco maior é melhor buscar orientação médica.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (53 votes, average: 4,40 out of 5)
Loading...