Bipolaridade: A doença da oscilação do humor


Com certeza você já ouviu alguém chamando alguém de bipolar, mas você sabe o que significa ser portador de bipolaridade? No nosso artigo a gente vai explicar o que é esse transtorno, os seus tipos e até formas de tratamento.

A bipolaridade, ou transtorno bipolar, é uma oscilação de humor onde o indivíduo não tem controle total sobre isso. Em um momento está feliz e em poucos minutos pode estar com raiva, ou triste, sem um motivo aparente.

O que mais chama a atenção sobre a bipolaridade é justamente que essas oscilações entre extrema alegria e depressão ocorrem de maneira muito rápida e podem ser em grande frequência e em pouca.

Os casos de pessoas bipolares que demonstram isso com uma frequência menor causa uma dificuldade maior para o seu diagnóstico. A bipolaridade pode ser manifestada de diferentes formas e fases: apatia, tristeza, euforia, agitação, ansiedade e irritabilidade.

Tipos de bipolaridade

O paciente pode ser diagnosticado com bipolaridade, mas existem diversas formas diferentes em que o transtorno se apresenta. Verifique abaixo quais são eles:

  • Bipolaridade tipo 1: É quando o paciente apresenta ao menos um episódio maníaco e tem momentos de depressão profunda. Antigamente esse período era chamado de depressão maníaca.
  • Bipolaridade tipo 2: Nesse tipo de bipolaridade o paciente nunca apresentou um episódio maníaco, mas apresenta períodos de energia elevada e impulsividade constante. Tudo isso acontece alternando com a depressão.
  • Bipolaridade de forma leve: Ela também é chamada de ciclotimia e os pacientes que a tem apresentam oscilações menores e mais tranquilas de humos. Apresentam hipomania e uma depressão leve.

Sintomas da bipolaridade

Como existem tipos diferentes de bipolaridade, a forma como ela se apresenta se diferencia de pessoa para pessoa. A intensidade é diferente e o sintoma também, por isso em alguns casos ela se confunde com outros transtornos e doenças.

Em alguns casos existe a depressão e episódios maníacos ao mesmo tempo, já em outros há hipomania. Abaixo nós te apresentaremos alguns sintomas da fase maníaca e da fase de depressão, observe:

Sintomas da fase depressiva:

  • Perda de apetite e consequentemente de peso
  • Fadiga
  • Falta de energia
  • Problemas para dormir ou sono em excesso
  • Baixa autoestima
  • Comer excessivamente e ter ganho de peso
  • Perda de interesses em atividades que eram consideradas prazerosas
  • Desânimo constante e/ou tristeza
  • Sentimento de culpa, inutilidade ou desesperança
  • Pensamentos sobre morte e/ou suicídio
  • Isolamento e afastamento de amigos e familiares

Sintomas da fase maníaca

  • Hiperatividade
  • Fala em excesso
  • Grande irritação e agitação
  • Autoestima muito alta
  • Pouco controle de temperamento
  • Diminuição na capacidade de discernimento
  • Necessidade de sono menor
  • Compulsão alimentar, de bebidas alcoólicas e/ou drogas
  • Gastos excessivos
  • Pensamentos muito acelerados
  • Grande envolvimento em atividades

Obs. Essa é uma fase que pode durar de dias a meses.

A bipolaridade e o suicídio

Pacientes que apresentam depressão e fase maníaca são mais propícios a pensarem e chegarem ao suicídio. Isso é muito perigoso e por isso as pessoas precisam prestar mais atenção a quem está ao redor.

Infelizmente ainda não há uma conscientização social sobre o problema da bipolaridade e algumas pessoas acham que é frescura, dengo ou qualquer tipo de artimanha sentimental. O bipolar está doente e precisa de atenção e tratamento.

Caso conheça alguém que tenha os sintomas acima, ou se por acaso reconheceu eles em você, procure uma ajuda profissional para que você tenha ajuda.

O que causa bipolaridade?

bipolaridade

Não se sabe ao certo a causa exata da bipolaridade, mas existem alguns fatores que pesquisadores e cientistas acreditam que influencia o desenvolvimento do problema:

  • Hormônios: Desequilíbrio hormonal pode causar oscilação de humor;
  • Hereditariedade: Quem tem alguém na família com esse problema tem mais chances de também o desenvolver. Isso faz com que alguns cientistas acreditem que uma das causas da bipolaridade é a genética;
  • Neurotransmissores: O desequilíbrio nos neurotransmissores também pode colaborar para que a pessoas tenha o problema;
  • Peculiaridades biológicas: Algumas pessoas que apresentam bipolaridade possuem características físicas em seus cérebros diferentes do comum;
  • Meio ambiente: Fatores externos como estresse e abuso sexual (ou qualquer outra experiência traumática) também pode fazer com que o indivíduo desenvolva esse problema.

Diagnóstico

Assim que os sintomas forem reconhecidos é preciso procurar ajuda médica. Além de uma entrevista para entender como é o seu dia a dia, o diagnóstico médico será feito por meio de exames e testes.

Normalmente de primeira é feito um exame físico e aqueles exames laboratoriais comuns. Após isso o paciente precisa passar por uma avaliação psicológica onde será observado o comportamento dele. Se depois de todo esse processo o diagnóstico for confirmado é hora de partir para o tratamento.

Tratamento da bipolaridade

A forma de tratamento vai variar de acordo com o grau da doença. Algo que é preciso saber é que esse é um tipo de problema que persiste na pessoa por muitos anos.

Entre as formas de tratamento estão a hospitalização (quando o paciente tem comportamento perigosos), uso diário de medicações que controlam as oscilações de humor. Em muitos casos também é recomendado que o paciente tenha acompanhamento psicológico por meio de psicoterapia. Essa é uma das partes mais importantes do tratamento.

Como conviver com a bipolaridade

Uma pessoa que possui bipolaridade vai precisar fazer algumas mudanças na sua vida para conseguir melhorar as suas oscilações de humor. A gente separou algumas dicas que vão ajudar você (ou a pessoa que você conhece) a terem os sintomas amenizados e conseguir ter uma vida mais tranquila:

  • Atividades físicas regularmente
  • Evitar e largar vícios
  • Relacionamento com pessoas positivas
  • Qualidade no sono

Informação importante

Quem começa o tratamento para controlar a bipolaridade precisa de acompanhamento de alguém que o incentive, que se lembre do horário dos remédios e o ajude a desenvolver hábitos saudáveis que o ajudem.

Esse é um problema sério e que deve ser levado dessa forma. Se você conhece alguém com esse problema, o ajude! Caso seja você peça ajuda de alguém que confia. Com o apoio de alguém, mais o tratamento médico, quem tem bipolaridade pode viver tranquilamente.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...