Anfetaminas


Anfetaminas são drogas sintéticas estimulantes que fazem com que o cérebro trabalhe mais depressa e, com isso, fazem com que a pessoa fique elétrica.

Infelizmente, as anfetaminas são populares entre as pessoas que exercem profissões em que é necessário ficar acordado a noite toda, como médicos, caminhoneiros e até entre os estudantes que acreditam precisar ficar a noite toda acordados para colocar seus estudos em dia.

Alguns remédios para emagrecer também têm anfetaminas em suas composições, o que exige um acompanhamento rigoroso que nem sempre é cumprido.

Ação das anfetaminas no cérebro

As anfetaminas provocam reações químicas no cérebro que resultam em excitação exacerbada, insônia (a pessoa fica muito agitada para conseguir dormir) e a falta de apetite. Os indivíduos que fazem uso dessas substâncias ficam mais alertas e mais atentos, além de sentirem uma grande sensação de bem estar. Apresentam, também, uma aparente melhora da capacidade intelectual.

Essa substância também afeta outros órgãos: provoca taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), aumenta a pressão arterial, pode causar diarreia, gastrite, tremor nas mãos, boca seca e irritação.

Sob o efeito das anfetaminas, o indivíduo começa a acreditar que é capaz de fazer tudo! Entretanto, esses benefícios aparentes duram pouco tempo: o efeito dessas substâncias pode durar oito, dez ou até doze horas.


Quando o efeito passa, entretanto, o efeito é exatamente o contrário: o indivíduo se sente deprimido, drenado de energia e extremamente angustiado, o que leva à necessidade de fazer uso da substância novamente e, em geral, em doses maiores.

Indicações das anfetaminas

As anfetaminas são indicadas no tratamento do transtorno de déficit de atenção (TDAH) com hiperatividade. Nestes casos, a substância controla a impulsividade do portador de TDAH, além de melhorar na concentração e na ansiedade. Dessa maneira, tanto o adulto como a criança portadora de TDAH e hiperatividade consegue uma elevação expressiva na produtividade.

anfetaminas

Essa substância também é indicada no tratamento da narcolepsia, um distúrbio que provoca sono repentino e incontrolável, aparentemente sem causa. A pessoa acometida por esse distúrbio tem vários episódios durante o dia.

Efeitos colaterais da anfetamina

  • Devido à ação estimulante, as anfetaminas podem levar à insuficiência cardíaca por causa do gasto do miocárdio (músculo cardíaco).
  • Pessoas com distúrbios alimentares como a bulimia ou anorexia não devem utilizar a anfetamina.
  • Redução ou perda total do apetite.
  • Realidade distorcida.
  • Hiperatividade e pupilas dilatadas.
  • Tremor e taquicardia.
  • Boca seca e rubor facial.
  • Transpiração excessiva.
  • Diarreia e distúrbios estomacais, como náuseas e enjoos.
  • Fala prejudicada.
  • Tontura e labirintite.
  • Insônia crônica e irritação.

OBS: o excesso do uso das anfetaminas (abuso nas doses) pode levar ao ataque cardíaco e ao AVC (acidente vascular cerebral – derrame), além de causar dependência.

O uso contínuo dessas substâncias podem causar sérios problemas psicológicos como ataques de pânico, depressão grave e tendências suicidas.

Por que procurar um médico?

Por causa do poder viciante da anfetamina, o neurologista ou endocrinologista deve acompanhar de perto a evolução do quadro do paciente.

Somente estes especialistas podem ajustar as doses de acordo com a necessidade de cada indivíduo, com o objetivo de evitar ao máximo os efeitos colaterais dessa substância que são marcantes na vida da pessoa que usa anfetaminas.

Quando o objetivo de saúde é atingido e o uso das anfetaminas não é mais necessário, os especialistas devem “desmamar” o paciente. Esse processo é lento e as doses da substância são diminuídas aos poucos até que seja seguro parar completamente de fazer uso dela.

A retirada brusca da anfetamina pode causar crises de abstinência que têm como sintomas: extrema agitação, náuseas, vômitos, suor, tremedeiras extremas, fadiga, psicoses diversas e outros distúrbios psicológicos e sono excessivo.

Considerações finais

De acordo com dados da OMS, o Brasil é um dos maiores consumidores de anfetaminas no mundo. A maior parte das pessoas as usa para emagrecer, sem levar em consideração os contras que o uso dessas substâncias pode acarretar.

É importante que se use corretamente, seguindo as doses terapêuticas para que não haja dependência ou o surgimento dos efeitos colaterais que podem, inclusive, deixar sequelas para o resto da vida do indivíduo, mesmo depois de eliminar o uso de anfetaminas do seu dia a dia.

O uso de anfetaminas requer cuidados, atenção e rigoroso acompanhamento médico. Fique ligado.

 


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...