Micose: O desconforto na pele

Coceira, manchas brancas ou vermelhas, descamação? Você pode estar com micose. A micose é uma doença que é causada por fungos e pode afetar tanto a pele quando a virilha, couro cabeludo e unhas.

Existem vários fungos que estão instalados no nosso corpo, mas que não causam nenhum tipo de prejuízo. No entanto, quando eles começam a se reproduzir de forma acelerada eles passam a causar algumas doenças.

Se proliferam a partir de condições favoráveis como o uso de antibióticos sistêmicos por um tempo longo, pelo calor, baixa imunidade e umidade. Esses fungos se alimentam da queratina que está presente nos cabelos, unhas e peles.

Quais são os tipos de micose?

A micose pode se apresentar de 3 diferentes formas:

Onicomicoses

São as mais comuns, se apresentam nas unhas dos pés e das mãos. Os sintomas desse tipo são unhas com aspecto grosso, descolam e tem mudança de cor e forma. Pode causar dor e tem origem com uma mancha de cor clara que vai se espalhando pela unha, tornando ela frágil. Com o avanço da micose a mancha muda de cor.


Petríase Versicolor

Esse tipo é conhecido como pano branco. É formada por pequenas manchas brancas na pele que podem escamar. Elas aparecem isoladas ou em grupo e surgem nos braços, pescoço, tronco e rosto. A sua coloração pode variar entre branco, castanho e rosado. Esse tipo de micose tende a coçar.

Tinhas

Esse tipo de micose causa manchas vermelhas e tem aspecto escamoso. Quando ocorre no pé é chamada de “pé de atleta”. Nas crianças as tinhas aparecem mais no couro cabeludo e formam uma placa com crosta que coça bastante.

A micose também pode ser classificada como superficial ou subcutânea.

A superficial é mais simples, quando o fungo danifica a parte externa da pele. É também a mais comum.

Já a micose subcutânea é capaz de deformar ossos e articulações. Precisam ser tratadas com urgência. Normalmente aparecem nas extremidades do corpo após ferimentos com plantas, terra, pedras ou madeiras.

Quais são as causas?

micose na unha

Como já dito no início do artigo, as micoses são causadas por fungos. O corpo humano contém vários fungos, só que quando eles se tornam nocivos o próprio corpo os combate.

Até mesmo bactérias presentes no corpo humano tem a função de inibir a reprodução dos fungos e evitar que os que podem causar algum mal ao organismo sejam privados de espaço e de nutrientes.

O problema é que o sistema de defesa do corpo humano é falho e muitas vezes o sistema imunológico não consegue combater com eficácia esses fungos e aí a micose aparece.

Outra forma de adquirir o problema é entrando em contato com alguém contaminado. A micose é contagiosa.

Quais são os fatores de risco?

Existem situações que favorecem o aparecimento e a proliferação de fungos que causam a micose. Lesões nas unhas ou infecções são uma porta aberta para a micose.

Andar descalço em lugares úmidos, trabalhar em um ambiente quente e úmido, a má circulação do sangue pelo corpo e o suor excessivo, favorecem para o problema. Se for possível evite tais situações e os seus riscos de contrair a micose cairão.

Como se prevenir?

As formas de prevenção são muito simples. Utilizar sempre sandálias é um fator essencial, evita que os pés tenham contato com ambientes úmidos que são infestados de fungos.

Existem 3 coisas que ajudam na proliferação do fungo: pele, calor e umidade. Por tanto, é necessário que o indivíduo esteja atento para não colaborar com a presença e a continuidade desses fatores.

Evitar utilizar toalhas compartilhadas, enxugar-se bem após o banho, utilizar peças íntimas de algodão, não usar roupas molhadas e evitar uso com produtos de limpeza sem luvas, também colaboram para evitar o contato com fungos que causem a micose.

Procure um médico

O ser humano em si tem o péssimo hábito de se automedicar, de evitar ao máximo a ida ao médico, mas isso é totalmente errado.

Caso os sintomas da micose apareçam procure um profissional da área de saúde, pode ser um clínico geral ou dermatologista, no caso das crianças é necessário consultar um pediatra.

Após relatar os sintomas que estão presentes o médico irá fazer uma exame visual. Em casos menos frequentes é necessário fazer uma análise de pedaços de unha ou pele.

Tratamento

As formas de tratamento irão variar de acordo com o tipo de micose. No caso das micoses do tipo tinhas o tratamento costuma ser mais rápido, nas do tipo onicomicose o tratamento demora mais.

É importante que mesmo parecendo ser um problema simples e fácil de resolver, o paciente procure um médico e siga as suas indicações de tratamento. Só um profissional da área de saúde terá condição de indicar a melhor forma de lidar com o problema.

Existem vários medicamentos antifúngicos e utilizá-los vai depender do local da infecção e do quanto é grave. No caso das mais simples é mais comum o uso de cremes e pomadas, quando a micose é mais severa (normalmente é aquela que afeta as unhas) é necessário utilizar comprimidos e até injeções.

As micoses nas unhas são difíceis de tratadas e o período pode se prolongar até 12 meses. É muito importante seguir a rigor o que for recomendado pelo médico e não parar o tratamento caso algum sintoma desapareça. Para pode fazer com que o problema cause sintomas ainda mais graves.

Existem alguns medicamentos que são comuns no tratamento contra as micoses:

  • Nistatina: É um antibiótico utilizado para tratar candidíases;
  • Anfotericina B: Esse medicamento é injetável e só pode ser manipulado por um profissional da área de saúde. É eficiente contra vários fungos e é utilizado no tratamento contra micoses graves. É preciso ter cautela no uso desse medicamento pois ele pode ser tóxico para os rins e causar muitos efeitos colaterais;
  • Medicamentos derivados do Triazol: Ingeridos via oral esses medicamentos servem para o tratamento da micose subcutânea;
  • Medicamentos derivados do Imidazol: São utilizados para o tratamento da micose superficial;
  • Antibióticos: Podem atuar como antifúngicos e controlar a proliferação.