Para que serve a lichia?

A lichia é uma árvore frutífera que pertence à família Sapindaceae. Sua origem é nas regiões mais quentes do continente asiático, no entanto, sua fruta é facilmente encontrada em países como China, Índia, Madagascar, Nepal, Paquistão, Bangladesh, Taiwan, Tailândia, África do Sul e México.

Aqui no Brasil é considerada uma fruta nova, com cerca de 5 anos que tem se tornado conhecida. Está presente principalmente na região Sul e Sudeste do país, sendo mais fácil de ser encontrada nos Estados de São Paulo e Minas Gerais.

As suas frutas tem aspecto rugoso e casca de cor vermelha, ela é muito parecida com um morango. As frutas formam uma espécie de cacho de uva.  Ela possui alto índice de vitamina C, e é formada por nutrientes que contém complexo B, sódio, cálcio e potássio.

Cobre X Vitamina C

A lichia é uma fruta riquíssima em Vitamina C, por causa disso ela ajuda no fortalecimento do nosso sistema imunológico e age também como um antioxidante natural. A cada 100 g de lichia existem 71,5 mg de Vitamina C.

Essa concentração de Vitamina C, além de evitar resfriados e gripes, também ajuda a controlar colesterol no organismo e faz bem para a pele, deixando-a mais hidratada e com aspecto de pele mais nova.


Em contra partida, a fruta também é uma grande fonte de cobre. O cobre é um nutriente essencial para o processo de cicatrização no nosso corpo e a lichia oferece 22% da quantidade diária necessária diariamente.

Aí vem uma questão importante: A fruta, se for ressecada, irá aumentar essa capacidade de cobre em até 3 vezes, no entanto, o processo de desidratação diminui a vitamina C em 75%. Qual é a sua prioridade? Você pode escolher a melhor forma da fruta para o seu consumo dependendo da sua necessidade.

Caso o interesse seja aumentar a proteção contra resfriados, gripes ou até mesmo inibir a alta do colesterol, o indicado é que consuma a fruta em seu estado natural. Mas se por acaso o intuito for acelerar a cicatrização, a fruta desidratada surtirá um efeito bem melhor.

A lichia emagrece?

A fruta possui baixa carga glicêmica, o que significa que ela não induz ou favorece para o aumento de gordura. Ela também possui um elemento chamado cianidina que tem a capacidade de auxiliar na perda de pego.

Em um traballho cientifico de uma Universidade do Japão, ficou concluído que após 10 semanas de testes, voluntários que receberam extrato de lichia conseguiram queimar 15% a mais de gordura localizada na barriga do que os que estavam sendo tratados com placebo.

Sendo assim, o médico Jun Nishirira, responsável pela pesquisa, constatou que o efeito ocorreu por causa da ação da ciandina presente na fruta. Esse nutriente junto ao fato da fruta possuir pouco valor calórico resulta em uma boa alternativa de alimentação para as pessoas que querem emagrecer.

Lembrando que o consumo exagerado, sem nenhum tipo de outra ação, não irá fazer com que você emagreça milagrosamente. É importante que a lichia seja uma alternativa de complemento alimentar, adicionada a atividades físicas, ingestão de líquido em abundância e mudança de hábitos alimentares.

Lichia inibe problemas renais

lichia

Os principais problemas de infecções intestinais são causados pelo Clostridium difficileé, causando diarreia, dores abdominais, e até perfuração intestinal que pode levar o paciente ao óbito. No entanto, através de pesquisas e estudos, foi revelado que o consumo de lichia inibe a capacidade da produção de doenças.

Os antibióticos consumidos pelo ser humano ao longo da vida matam organismos que são bons na flora intestinal. Esses organismos auxiliam na proteção contra organismos estranhos que tentam entrar.

Para tratar infecções intestinais usam-se alguns antibióticos que a bactéria é sensível, mas esse tratamento causa um retorno ainda mais forte do problema e a bactéria vem resistente a aquele medicamento.

A Organização Mundial de Saúde relatou, no entanto, que quando o tratamento é feito junto com o consumo da lichia, o sucesso é maior. Existe uma levedura encontrada na fruta chama Saccharomyces boulardiié que é capaz de sobreviver à exposição de ácidos gástricos, ficando presente no cólon durante o tratamento e sendo eliminada após a sua ação.

Ela consegue inibi os efeitos da Bactéria Clostridium de causar doenças porque interfere na sua produção, elimina suas toxinas e até mesmo consegue bloquear os seus receptores de toxina.

Outro fator importante é que o tratamento com lichia consegue reduzir a possibilidade de ter uma recidiva (que normalmente acontece em 64% dos casos, em até 4 semanas após o tratamento feito somente por antibióticos).

Eficiente para o sistema renal

Por possuir uma concentração alta de potássio a lichia auxilia no controle da pressão arterial e também ajuda no quesito retenção de líquido. A ingestão da fruta colabora com um ótimo funcionamento do sistema renal.

Chá de casca de lichia

Na China é comum utilizarem a casca da lichia para produzir chá. O costume é por conta dos benefícios da ingestão da bebida. Apesar de não existir nenhum tipo de estudo ou pesquisa que comprove esses resultados, os chineses utilizam o chá da casca de lichia par aliviar tosses, dores de garganta, diarreia e desidratação.

O que se sabe, no entanto, é que as antocianinas, encontradas na casca e que dão a cor vermelha a ela, são polifenóis importantes. Esses polifenóis são recomendados como antioxidantes poderosos capazes de evitar inflamações, alergias, doenças cardiovasculares e até câncer.

O chá também é consumido por conta da ação terapêutica. Ele é capaz de relaxar e aliviar o estresse.

Formas de consumo da lichia

Como vimos mais acima, uma das formas de consumo da lichia é através do preparo do chá com a sua casca. Também é possível consumi-la em seu estado normal, ou desidratando-a. Outra forma de consumir a lichia é através do seu suco.

É importante que antes do consumo a lichia tenha a casca bem lavada. Caso faça o suco, o recomendável é que se beba imediatamente após o preparo e sem coar, para que as suas fibras e seus nutrientes não se percam.