Tudo o que você precisa saber sobre Hemoglobina glicada


O que é Hemoglobina glicada?

A hemoglobina é uma proteína que está presente no sangue (para ser mais preciso, ela encontra-se nos glóbulos vermelhos) e que é responsável por realizar o transporte do oxigênio no sistema circulatório. Enquanto os glóbulos vermelhos perduram no organismo, uma fração das hemoglobinas acaba por incorporar glicose.

Isso ocorre devido à concentração de açúcar no sangue. Essa fração de hemoglobina acaba recebendo o nome de hemoglobina glicada ou, ainda, glicolisada (HbA1c). Quanto mais açúcar estiver presente no sangue durante esse período de 90 dias (tempo de duração dos glóbulos vermelhos), maior será o aumento de hemoglobinas glicadas.

Nas pessoas que possuem diabetes, a taxa desse tipo de hemoglobina é superior ao que se espera normalmente afinal, essa doença se caracteriza pelos altos níveis de açúcar que o sangue apresenta.

Por que fazer o exame de hemoglobina glicada

Normalmente, para saber se um paciente sofre de diabetes o médico solicita um exame de sangue: a glicemia de jejum. Com ela, pode-se verificar a concentração de glicose no sangue que o paciente apresenta no período que houve a coleta.

Mas esse resultado pode oscilar, pois depende de alguns fatores como, por exemplo, a realização de atividade física ou a ingestão de medicamentos. Outro fato que pode acontecer é o paciente apresentar um nível normal de glicose na hora da coleta, mas ter picos hiperglicêmicos no decorrer do dia.

Por esse motivo, a realização do exame de hemoglobina glicada se faz importante, pois ela mostrará a concentração média que o sangue apresenta de glicose ao longo do período.


Quando o exame pode ser solicitado

Esse exame, quando usado em conjunto com outros exames como o de curva glicêmica e o de glicemia de jejum, pode ser usado para fazer o diagnóstico e o acompanhamento do diabetes sendo que, do diabetes tipo 1 e 2 são as principais doenças que estão envolvidas na dosagem da glicose.

No entanto, o médico pode indicar o exame de hemoglobina glicada mesmo que o paciente não apresente sintoma definido, apenas para fazer um check-up afinal, o diabetes pode não apresentar nenhum tipo de sintoma por muito tempo.

Mas a realização desse exame também pode ser solicitada para que se tenha um diagnóstico de anemia ou, ainda, para averiguar se a contagem de hemoglobina está baixa. Dificilmente o médico solicitará esse exame para avaliar a existência de hipoglicemia, mas isso pode acontecer.

De acordo com os sintomas ou as condições que o paciente apresente, o médico pode pedir que seja realizado o exame para medir a glicemia de jejum e fazer uma avaliação mais profunda. São eles:

  • Valor acima do normal na glicemia de jejum;
  • Sede intensa;
  • Urina várias vezes ao longo do dia;
  • Apesar de se alimentar bem, o paciente apresenta perda de peso;
  • Exame de glicemia realizado fora do jejum apresenta valor superior a 200 mg/dl;
  • Tonturas;
  • Desidratação;
  • Mal estar que pode se manifestar nas crianças como dor abdominal;
  • Náusea;
  • Fome intensa;
  • Desmaios ou coma;
  • Parente direto que tem diabetes;
  • A dosagem ou o medicamento que trata o diabetes foi trocado.

Interpretação dos resultados do exame

hemoglobina glicada

Há uma diferença básica entre os conceitos do que é chamado de valor normal e do valor desejável dessa hemoglobina. O valor normal é o que ocorre em todo individuo saudável e que não possui o diabetes. Nesse caso, o valor da hemoglobina A1c fica entre 4,0% e 5,6%. Por isso, essa é a faixa tida como normal.

Já o valor desejável é diferente. Afinal, ele é o que se deseja para as pessoas que sofrem com diabetes, pois os portadores dessa doença possuem a taxa de hemoglobina glicada mais alta do que o normal. Por esse motivo, não se espera que esse valor fique dentro do que é considerado um valor normal.

Nesses casos, o valor desejável é de até 7% que é bem mais alto que o limite das pessoas que não são portadoras do diabetes. Esse valor para os diabéticos foi definido como o ideal, pois é a partir desse ponto que as complicações se tornam mais frequentes nesses pacientes.

Hemoglobina glicada valores de referência

A interpretação dos valores da hemoglobina glicada  (A1c) é feita da seguinte forma:

  • 4,0% a 5,6% – o resultado é normal e é o que se espera nos não diabéticos.
  • 5,7% a 6,4% – o resultado é anormal e indica que o paciente tem risco elevado de desenvolver diabetes em um curto prazo.
  • 6,5% a 7,0% nos pacientes que não foram diagnosticados com diabetes – o resultado é anormal e indica diabetes.
  • 6,5% a 7,0% nos pacientes que foram diagnosticados com diabetes e que estão em tratamento – o resultado é o desejado, pois indica que a doença está controlada.
  • 7,0% a 7,9% – o resultado é anormal para os adultos que foram diagnosticados com diabetes, mas esse valor pode ser tolerado nas crianças e nos idosos já que esses grupos possuem um risco maior de ter episódios de hipoglicemia.
  • Superior a 8,0% – o resultado é anormal e indica que o diabetes não está controlado.

Tratamentos para que a hemoglobina glicada baixe

O valor obtido através dos exames da hemoglobina glicada indicam se o diabetes foi controlado ou não, no período compreendido entre 8 e 12 semanas. Caso o seu valor seja elevado é um indicativo de que o tratamento não está surtindo efeito e que precisa ser revisto.

Nessa situação, o primeiro passo a ser tomado é confirmar a aderência do paciente a dieta que foi proposta e ao seu tratamento medicamentoso. Essa medida é necessário, visto que  o paciente acaba não aderindo a dieta mas quem leva a fama de ineficaz é o medicamento. Para que a hemoglobina A1c seja controlada é preciso a junção da dieta com a ingestão do medicamento na dose recomendada pelo médico.

Outro ponto muito importante que também precisa ser explorado são as atividades físicas e o controle do peso. Quando essas duas medidas são feitas com afinco, o uso de medicamento pode ser dispensado.

Situações que podem alterar o resultado da hemoglobina A1c

O exame que identifica os valores da hemoglobina glicada é muito confiável. No entanto, seus valores podem ser alterados em algumas situações como é o caso do paciente que ingere bebida alcoólica, que sofre de insuficiência renal ou foi diagnosticado com anemia por falta de ferro, ácido fólico ou vitamina B12.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (10 votes, average: 4,30 out of 5)
Loading...