Ginástica Laboral

Os primeiros registros sobre ginástica laboral foram encontrados na Polônia em 1925, editada em uma brochura, que descrevia uma ginástica destinada a operários intitulada Ginástica de Pausa.

Após alguns anos, surgiu na Holanda e na Rússia. Nos anos 1960 aparece na Bélgica, Suécia, Bulgária, Alemanha e no Japão, onde houve sua consolidação com a obrigatoriedade da Ginástica Laboral Compensatória (GLC).

No Brasil, a ginástica laboral aparece em 1969 com o objetivo de minimizar o índice de Acidentes do Trabalho. No ano de 1973, foi elaborada uma proposta de exercícios, baseados em análises biomecânicas, em um projeto de Educação Física Compensatória e Recreação, da Escola de Educação FEEVALE. Não se tem conhecimento da continuidade desse trabalho, porém, a partir daí, ações isoladas propiciaram o desenvolvimento da ginástica laboral durante a década de 1970.

A Portaria nº 4602 de 06 de agosto de 1987, reconheceu a tenossinovite, como uma doença ocupacional resultante do esforço repetitivo do punho, hoje denominada LER (Lesão por Esforço Repetitivo) ou DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). Foi o primeiro passo na regulamentação de atividades e ações para a manutenção da saúde do trabalhador e o despertar do interesse pela ginástica laboral por parte dos empresários

O que é a Ginástica Laboral?

Ginástica Laboral é uma atividade física desenvolvida no local de trabalho, que tem por objetivo proporcionar momentos de descontração física e mental, um bom ambiente de trabalho e o estímulo à prática de atividades físicas, pois, a exigência de níveis de produção cada vez maiores e melhores, faz com que o trabalhador se volte completamente para a vida profissional, se esquecendo dos cuidados com a saúde.


Fundamentada em uma série de exercícios físicos, a ginástica laboral tem por finalidade a prevenção de doenças relacionadas ao trabalho Geralmente ela se desenvolve a partir de técnicas de alongamento, controle e percepção corporal, respiração, compensação muscular e reeducação postural, numa frequência mínima de três vezes por semana e uma duração média de quinze minutos. Normalmente não há necessidade de deslocamento do trabalhador, a ginástica laboral é realizada no próprio local e não implica em sudorese ou cansaço.

Nos dias atuais, o estresse e o DORT são os maiores causadores do absenteísmo entre os trabalhadores, nesse sentido, a ginástica laboral possui um papel essencial na qualidade de vida do trabalhador, sendo por ele percebida como um diferencial na sua valorização profissional e pessoal.

Os empresários, por sua vez, perceberam que a prática da ginástica laboral e a aplicação da ergonomia, acabam refletindo de forma compensatória nos níveis de produtividade, que são mantidos e, em muitos casos aumentados, devido à diminuição do absenteísmo e da qualidade do ambiente de trabalho.

Os Benefícios da Ginástica Laboral

Além de proporcionar um ambiente de trabalho saudável, a ginástica laboral traz ainda inúmeros benefícios tanto à saúde do trabalhador, como para a empresa.

Para o trabalhador, os benefícios são muitos quando se leva em conta que trabalhar deixa de ser um peso obrigatório e passa ser uma atividade necessária e compensatória com a elevação da autoestima e a percepção de que é parte integrante de uma empresa que se preocupa com seu bem estar. Dentre esses benefícios, estão:

ginástica laboral

  • Alívio do estresse,
  • Prevenção de doenças laborais e lesões (ler ou dort),
  • Redução do sedentarismo e da fadiga,
  • Melhoria da atenção,
  • Melhoria do condicionamento físico,
  • Combate às tensões,
  • Melhoria na integração e nos relacionamentos profissionais,
  • Fortalecimento das relações que possibilitam o trabalho em equipe,
  • Melhoria no desempenho das atividades,
  • Sentimento de realização pessoal e profissional.

Já, para a empresa, os benefícios da ginástica laboral, retornam em estatísticas que evidenciam dentre outras, as vantagens:

  • Diminuição do absenteísmo,
  • Diminuição dos afastamentos,
  • Auxílio na prevenção dos acidentes do trabalho,
  • Aumento da produtividade,
  • Ambiente de trabalho propício a ideias de desenvolvimento de ações que colaborem com a melhoria nas atividades laborais,
  • Diminuição das pausas aleatórias e desnecessárias,
  • Cumprimento de metas e aumento da produtividade.

A ginástica laboral é também responsável por benefícios fisiológicos associados aos sistemas cardíaco e respiratório, podendo ser desenvolvida por todos os trabalhadores, pois não exige condicionamento físico devido à baixa intensidade.

Tipos de Ginástica Laboral

A ginástica laboral apresenta classificações que podem evidenciar a necessidade do trabalhador no momento de seu desenvolvimento.  A partir do tempo disponibilizado pela empresa, pode ou não trabalhar especificamente cada uma dessas necessidades.

Essas classificações são realizadas de acordo com o horário em que a ginástica laboral é desenvolvida ou dos objetivos principais dos exercícios.

Classificação segundo o horário de desenvolvimento:

 

·         Preparatória

Desenvolvida no início das atividades, a ginástica laboral preparatória tem a função de preparar o organismo para a jornada de trabalho. Os exercícios visam a melhoria na oxigenação tecidual, frequência cardíaca, disposição e na concentração. Possui uma duração média entre dez e doze minutos, com a realização de exercícios de coordenação, concentração, equilíbrio, flexibilidade e resistência muscular.

·         Compensatória

Busca o alívio de qualquer tensão muscular proveniente do uso excessivo da estrutura esquelética por má postura ou esforço excessivo. A ginástica laboral compensatória auxilia o funcionamento dos rins na remoção de resíduos metabólicos, na correção postural e prevenção da fadiga muscular. Se concentra, especificamente, nos exercícios voltados à correção da postura, da flexibilidade, nos alongamentos e exercícios respiratórios.  É praticada durante a jornada de trabalho.

·         Relaxamento

Tem como principal objetivo o alívio de tensões e diminuição do estresse. A ginástica laboral de relaxamento é realizada no final da jornada de trabalho com automassagens, exercícios respiratórios, alongamentos e meditação.

Classificação pelos objetivos principais dos exercícios:

 

·         Ginástica laboral corretiva/postural

Voltada ao equilíbrio entre as musculaturas agonista (reação a um estímulo voluntario) e antagonista (age contra a ação agonista e auxilia na movimentação da parte do corpo trabalhada), consiste no alongamento e fortalecimento das musculaturas com pouco uso. Sua duração média é de dez minutos e pode ser realizada todos os dias ou, no mínimo, três vezes por semana.F

·         Ginástica laboral de compensação

Seu objetivo é a prevenção das adaptações e compensações posturais provenientes do desenvolvimento das atividades laborais. Realizada em exercícios simétricos e alongamentos em, até, dez minutos.

·         Ginástica laboral de manutenção/conservação

Após se alcançar o equilíbrio muscular e as correções que se fizerem necessárias, objetiva a manutenção dos resultados do trabalho de condicionamento físico. Para sua prática é necessária uma sala especial para o treinamento, utiliza o tempo de folga do trabalhador e sua duração tem uma média entre quarenta e cinco e noventa minutos.

·         Ginástica laboral terapêutica

Tem por objetivo o tratamento de patologias e alterações posturais de acordo com as principais queijas apresentadas. Necessita de espaço próprio e tem duração média de trinta minutos.

Hoje percebe-se a preocupação com a humanização do ambiente de trabalho e a prática comum da ginástica laboral representa uma parte importante nessa humanização. Pesquisas mostram que as empresas que adotam a ginástica laboral conseguem melhores índices de produtividade e concorrência no mercado consumidor.