Cálculo renal


O cálculo renal, também chamado de calculose urinária ou de pedra nos rins, é uma doença bastante comum na população, acometendo qualquer pessoa, independente de raça, de sexo e sem distinção de idade. O tratamento preventivo é a melhor opção já que este tipo de problema pode trazer diversos transtornos ao paciente e também aumentar os custos com a saúde pública. Neste artigo, iremos explicar e mostrar o que é o cálculo renal e como tratar este problema.

O que é o cálculo renal?

O cálculo renal, também popularmente conhecido como pedra nos rins, é um problema causado devido à presença de precipitados de cristais que se unem e acabam se solidificando dentro dos rins, formando pequenas pedras.

De acordo com alguns dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, cerca de 12% da população brasileira tem problema de cálculo renal, com maior incidência, principalmente, em pessoas com faixa etária dos 20 aos 50 anos.

Este problema traz diversos transtornos tanto para os pacientes quanto para a saúde pública, já que existe um custo bastante significativo para o país, considerando-se que, aproximadamente, 30% destas pessoas irão necessitar de internação hospitalar e, entre 10% e 15% delas, também precisarão passar por tratamento cirúrgico para a retirada das pedras nos rins.

Isto também significa uma perda do rendimento e o afastamento do paciente de suas atividades diárias, o que implica em afastamento no trabalho, gerando problemas familiares, socioeconômicos e até mesmo muitos problemas financeiros.

O cálculo renal pode ter diversas causas, sendo facilmente evitado com o tratamento preventivo, já que boa parte destas causas está relacionada aos maus hábitos alimentares e ao estilo de vida, podendo, em alguns casos, também estar associado a condições genéticas.


cálculo renal

O desenvolvimento de cálculo renal pode estar relacionado ao alto consumo de proteína animal, incluindo-se os diversos tipos de carnes como a bovina, a suína e a de frango, o leite e seus diversos tipos de derivados, os ovos, entre muitos outros.

Alguns estudos mostraram que os excessos de sal e de carboidratos na alimentação também podem acarretar o desenvolvimento do cálculo renal, assim como a baixa quantidade de fibras na dieta, os problemas de obesidade e de sedentarismo, o estresse e diversas outras situações que causem mudanças metabólicas consideráveis no paciente.

Infelizmente, mesmo que sejam simples as atividades para se realizar um tratamento preventivo, o que se verifica é uma baixa preocupação por parte da grande maioria das pessoas em tentar evitar o problema, sendo comum encontrar pessoas nas unidades de pronto atendimento que estão em busca de um alívio para a dor intensa, sem nem ao menos saberem da existência do cálculo renal.

Essa falta de consciência pode acarretar no aparecimento das pedras nos rins, assim como também de diversas outras doenças relacionadas aos maus hábitos alimentares e ao estilo de vida ruim.

Veja, a seguir, algumas ações para evitar o cálculo renal.

Melhore a qualidade da alimentação

Além de ser importante evitar os alimentos que possam vir a causar o problema de cálculo renal, como é o caso das proteínas animais, entre outros, é fundamental também ter um consumo maior de alimentos saudáveis como legumes, verduras e frutas, assim como daqueles que podem ajudar na prevenção.

As frutas cítricas, os chás, o café e o vinho contêm substâncias protetoras, tais como o citrato, que inibem a cristalização da urina e evitam a formação das pedras.

Aumente o consumo de líquidos

Os rins funcionam como filtros no nosso corpo. Com a redução do consumo de água, pode ocorrer um acúmulo maior de toxinas nesta região, o que também promove maior formação de pedras.

O ideal é consumirmos 35 mL de água por quilo de peso corporal para se manter a adequada hidratação e para que o corpo funcione corretamente.

Considerações Finais

O cálculo renal é um problema bastante comum entre os brasileiros, sendo facilmente evitado com o tratamento preventivo que inclui a mudança de hábitos alimentares e de estilo de vida. No entanto, sem a adequada prevenção, poderá trazer diversos transtornos não só para o paciente como também para a saúde pública.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...