Triglicerídeos baixos


O bom estado de saúde geral encontra-se no equilíbrio. Os níveis encontrados nos resultados dos exames laboratoriais, tanto para maior como para menor, é o que indica que algo está errado e necessita de atenção. Os triglicerídeos baixos, assim como os altos, são indicadores de desequilíbrio e devem ser tratados com importância e cuidado.

Resultados que relatam triglicerídeos baixos indicam uma baixa de energia disponível no organismo para que ele possa funcionar corretamente. Se não tratado adequadamente, os níveis baixos de triglicerídeos podem comprometer órgãos como o cérebro, o coração e os rins.

O que são triglicerídeos?

Conhecidos popularmente como triglicérides, os triglicerídeos são moléculas de gordura, cuja função principal é a produção de energia para que o organismo realize suas funções. Normalmente os triglicerídeos circulam no sangue e são armazenados nas gorduras do corpo.

Os triglicerídeos são produzidos pelo organismo, mas também podem ser ingeridos através da alimentação.

Os triglicerídeos podem ser divididos em dois grupos principais:

HDL

considerado o “colesterol bom”, porque vem de fontes de gorduras consideradas ideias, como o azeite extravirgem e as nozes. Esse tipo de gordura refere-se à lipoproteína de alta densidade e diminui o risco e a incidência de infartos do miocárdio e os derrames (AVCs).


Esse tipo de colesterol é necessário para o bom funcionamento do organismo e na prevenção de doenças, como citado acima. Para manter ou aumentar seus níveis, deve-se ingerir os alimentos que oferecem gorduras boas, eliminar hábitos nocivos como o fumo e praticar atividades físicas regularmente.

Os valores de referência do HDL nos exames laboratoriais são:

  • Inferior a 40 mg/dL para homens = HDL baixo (alto risco)
  • Inferior a 50 mg/dL para mulheres = HDL baixo (alto risco)
  • Entre 40 e 59 mg/dL = Quanto maior, melhor
  • Igual ou superior a 60 mg/dL = HDL alto (baixo risco)

(dados de referência: Dr. Coração)

LDL

considerado o “colesterol ruim”, porque é proveniente de alimentos que apresentam gordura de origem animal como as capas de gordura encontradas em certos cortes de carne vermelha, na pele do frango, linguiças suínas e etc.

Esse tipo de gordura refere-se à lipoproteína de baixa densidade e, quando circulantes na corrente sanguínea, podem entupir vasos e artérias, aumentando as incidências de infartos do miocárdio e derrames.

Para baixar os níveis do LDL é preciso uma reeducação alimentar séria, além de eliminar hábitos nocivos como o fumo e praticar atividades físicas frequentemente.

Os valores de referência do LDL nos exames laboratoriais são:

  • Inferior a 70 mg/dL = nível opcional para você que tem alto risco para ataque cardíaco ou morte por ataque cardíaco.
  • Inferior a 100 mg/dL = ótimo para pessoas com doença cardíaca ou diabetes.
  • Entre 100 e 129 mg/dL = acima do normal
  • Entre 130 e 159 mg/dL = acima do normal quase alto
  • Entre 160 e 189 mg/dL = alto
  • Igual ou superior a 190 mg/dL = muito alto

(dados de referência: Dr. Coração)

O que significa triglicerídeos baixos?

Triglicerídeos baixos deve ser tratado

Triglicerídeos com níveis altos são os mais comuns de serem relatados, porém os triglicerídeos baixos também são perigosos e podem ser indicadores das seguintes situações:

  • Carência de gorduras boas no organismo, que pode prejudicar a síntese de algumas proteínas e vitaminas, causando sérias doenças.
  • Desnutrição, que prejudica a saúde como um todo.
  • Hipertireoidismo, que podem causar sintomas como a perda de peso, mesmo com um aparente aumento no apetite, taquicardia, ansiedade, irritação excessiva e nervosismo, intolerância ao calor, fadiga e fraqueza muscular, entre outros.

O que fazer para aumentar os triglicerídeos baixos?

Para aumentar os triglicerídeos baixos é necessária uma visita ao médico para que se investiguem outras causas desse resultado e para que ele possa indicar o tratamento mais adequado para o seu caso.

Em regras gerais, os triglicerídeos baixos são regularizados através da alimentação saudável, com refeições de 3 em 3 horas e que tenham quantidades ideais de gorduras boas.

É importante que o sedentarismo seja evitado. A prática de atividades físicas, principalmente as que são feitas ao ar livre, podem não somente normalizar os níveis dos triglicerídeos baixos, mas também diminuir o estresse causado pelas adversidades do cotidiano, que contribuem para essas alterações no colesterol.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (56 votes, average: 3,71 out of 5)
Loading...