Tricomoníase


A relação sexual desprotegida é um ato que pode trazer diversas consequências para quem o pratica, como é o caso da tricomoníase, que é uma doença sexualmente transmissível.

Então, para saber mais sobre ela, seus sintomas, causas e tratamentos, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber. Vamos lá?!

O que é Tricomoníase

Tricomoníase nada mais é do que uma infecção do trato vaginal inferior feminino que também pode ocorrer no trato genital masculino.

Essa infecção é causada por um protozoário chamado Trichomonas Vaginalis e ela pode ser assintomática ou ainda causar vaginite. uretrite e  ocasionalmente cistite, prostatite e epididimite.

O causador do problema pode persistir por um longo período dentro do trato urinário masculino sem causar quaisquer sintomas e pode acabar sendo transmitido de forma involuntária através da relação sexual.

É muito comum que é tricomoníase esteja acompanhada de gonorreia e outras doenças sexualmente transmissíveis.


Causas da Tricomoníase

Transmissão da Tricomoníase

A tricomoníase é um problema causado por um protozoário chamado de  trichomonas vaginalis ou T. vaginalis,  que nada mais é do que um tipo de parasita minúsculo cuja contaminação é feita de pessoa para pessoa através da relação sexual.

O período de incubação desse microrganismo varia de 5 a 28 dias após a exposição.

Sintomas de Tricomoníase

A maioria dos homens e mulheres que possuem tricomoníase não apresenta quaisquer sintomas,  principalmente no início no problema, porém os sintomas vulvares  dessa patologia podem incluir:

  • Corrimento vaginal em grande quantidade e com mau cheiro, que pode ser cinza, branco, amarelo ou verde
  • Vermelhidão na região genital
  • Coceira vaginal
  • Ardor e dor ao urinar e ao ter relação sexual
  • Dor abdominal também pode ocorrer em casos raros

Os homens portadores da tricomoníase dificilmente apresentam quaisquer sintomas e na maioria das vezes não sabem que estão infectados. Entretanto, quando os sintomas ocorrem eles podem ser:

  • Leve corrimento
  • Ardor ao ejacular e urinar
  • Irritação na parte interna do pênis

Diagnóstico de Tricomoníase

Através do exame clínico é possível verificar manchas vermelhas tanto na parede vaginal, quanto no colo do útero. Depois disso é realizado o exame do conteúdo vaginal através do microscópio, que algo de fácil realização e interpretação.

Para isso, basta colher uma gota da secreção vaginal, colocar na lâmina com uma solução e observar esse material no microscópio, procurando pelo parasita que vai estar se movimentando de forma ativa entre os leucócitos e as células epiteliais.

Já nos homens esse problema é mais difícil de ser identificado e esse grupo acaba normalmente sendo tratado quando a infecção é diagnosticada no seus parceiros ou parceiras.

O tratamento em homens também pode ocorrer quando eles apresentam sintomas contínuos de comichão e queimação uretral.

Dentre os exames que podem ser realizados para o diagnóstico deste problema estão o teste de PH vaginal, o  exame de citologia e também o de cultura de microrganismos.

Tratamento de Tricomoníase

Mesmo durante a gravidez o tratamento mais usual para tricomoníase é uma alta dose de secnidazol, metronidazol ou tinidazol.

Isso porque para os casos de tricomoníase os medicamentos de via oral tendem a ser muito mais eficazes do que aplicação de cremes e géis aplicados diretamente no órgão.

Vale lembrar que tanto o paciente quando seus parceiros e parceiras devem realizar o tratamento junto e evitar as relações sexuais desprotegidas até que o problema esteja completamente resolvido, o que leva cerca de uma semana

Dentre os efeitos colaterais causados pela medicação podem ocorrer:

  • Náusea
  • Dor de cabeça
  • Vômitos
  • Gosto metálico na boca
  • Tontura

É importante ressaltar também que é proibido ingerir qualquer tipo de bebida alcoólica ou produto com álcool durante o tratamento da doença e 24 horas depois, caso tenha tomado o metronidazol, e 72 horas depois caso tenha tomado tinidazol, visto que pode causar o vômito severo e náusea.

Medicamentos para Tricomoníase

Existem alguns medicamentos que podem ser usados para o tratamento da tricomoníase, são eles:

  • Colpatrin
  • Colpistatin
  • Flagyl
  • Flogo Rosa
  • Gynopac
  • Helmizol (comprimido)
  • Helmizol (gel)
  • Metronidazol
  • Secnidazol

O mais importante é ressaltar que somente o médico pode recomendar qual o tratamento indicado para cada caso, bem como a duração do mesmo e a dose a ser utilizada.

O paciente sempre deve seguir as orientações médicas e nunca recorrer a automedicação.

O tratamento não deve ser interrompido sem que o médico seja consultado e, caso paciente tome mais de uma vez ou em quantidade bem acima do que foi prescrito, deve seguir as instruções da bula.

Possíveis complicações

Em mulheres grávidas a tricomoníase pode ocasionar uma ruptura precoce das membranas protegem o bebê e até mesmo ocasionar o parto prematuro.

Mais do que isso, a inflamação que é causada pela tricomoníase ainda pode aumentar o risco de a mulher ser infectada pelo HIV caso seja exposta ao mesmo.

Caso a mulher já esteja infectada com HIV, a tricomoníase pode aumentar a chance de transmissão de infecção com o vírus para o parceiro ou parceira sexual.

Convivendo com Tricomoníase

A tricomoníase é um problema que tem cura e pode ser resolvido com aproximadamente uma semana de tratamento.

No entanto, durante esse período é fundamental evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, bem com alimentos e remédios com álcool e evitar ter relações sexuais desprotegidas.

Além disso é fundamental seguir o tratamento conforme o indicado e pelo tempo recomendado.

Os cuidados básicos de higiene também são fundamentais como lavar a área genital no banho e trocar a roupa íntima.

Prevenção do Tricomoníase

A tricomoníase pode ser evitada se as seguintes medidas foram tomadas:

  • Uso adequado de camisinha em todas as relações sexuais
  • Número de parceiras ou parceiros sexuais limitados
  • Limitar o contato sexual ou praticar abstinência com um parceiro que esteja infectado
  • procurar um médico e evitar contato sexual caso você esteja apresentando sinais de infecção.

É imprescindível consultar um médico e suspender as relações sexuais à qualquer sinal de coceira, mal cheiro, ferida, queimação ao urinar e erupção cutânea genital.

Caso você tenha sido diagnosticado com tricomoníase é importante notificar a todos os parceiros ou parceiras recentes para que também possam receber o tratamento.

Pergunta dos leitores

Tricomoníase tem cura?

Sim, a tricomoníase tem cura mas mesmo sendo descoberta e tratada o problema pode voltar a se apresentar. Por isso, o mais indicado pelos especialistas é que a utilização correta de preservativo seja feita mesmo após o termino do tratamento prescrito pelo seu médico ginecologista.

Quais os perigos de pegar Tricomoníase na gravidez?

A tricomoníase  durante a gestação acontece com cerca de 3% a 5% das mulheres e por isso é considerada uma infecção de alta prevalência.

Quando ela acontece na mulher grávida, pode ser um fator de risco o desenvolvimento de déficit intelectual do bebê, segundo estudos.

Mais do que isso essa patologia ainda pode ocasionar infecção das vias respiratórias do recém-nato.

Sendo assim, as mulheres que sofrem esse problema durante a estação apresenta uma probabilidade significativamente maior de ter um filho com desenvolvimento intelectual baixo.

No entanto essa situação só ocorre quando á a ruptura prematura das membranas que protegem o feto, gerando um parto prematuro e a criança abaixo do peso no nascimento.

De qualquer maneira é indicado que o tratamento seja realizado nas gestantes que apresentarem os sintomas da tricomoníase em qualquer estágio da gravides. Já para as gestantes que não apresentam sintomas, é preciso avaliar cada caso individualmente.

 

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre a tricomoníase, o que é, quais os seus sintomas e como tratar esse problema.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (6 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...