Síndrome do Ovário Policístico – SOP


Conhecida também pela sua sigla, SOP, a Síndrome do Ovário Policístico é um distúrbio endócrino (de ordem hormonal) muito comum nas mulheres – 1 em cada 15 mulheres é portadora da SOP – que estão em idade reprodutiva.

A SOP causa alterações hormonais que resultam na irregularidade da menstruação e no aumento do tamanho dos ovários por causa da formação de cistos. A Síndrome do Ovário Policístico também aumenta a produção de hormônios masculinos de tal modo que, em alguns casos mais graves, as mulheres passam a apresentar sintomas masculinos, como por exemplo, o excesso de pelos corporais.

A SOP não pode ser evitada, por isso as visitas periódicas ao ginecologista têm o objetivo de detectar e tratar a síndrome do ovário policístico o quanto antes.

Causas da Síndrome do Ovário Policístico

A causa específica da Síndrome do Ovário Policístico ainda não foi determinada. O diagnóstico e o tratamento precoces diminuem as chances de manifestação de complicações como doenças cardíacas e diabetes, porque cerca de 50% das mulheres portadoras de SOP apresentam um aumento de insulina circulante na corrente sanguínea.

Os outros 50% podem apresentar problemas no hipotálamo, na hipófise e nas glândulas supra-renais.

Sintomas da SOP

Em linhas gerais, os sintomas da SOP já se manifestam após a primeira menstruação, porém isso não significa que não possam aparecer mais tarde, durante a idade fértil da mulher. Além disso, os sintomas podem variar de mulher para mulher.


Caso a mulher apresente ao menos dois dos sintomas descritos abaixo, será necessário consultar o ginecologista para uma investigação mais minuciosa.

Os sintomas mais comuns na Síndrome do Ovário Policístico são:

  • Alterações menstruais: a frequência e o fluxo menstrual ficam anormais. Os intervalos entre uma e outra podem ultrapassar 30 dias e depois ocorrerem menstruações de fluxo intenso e por períodos longos. Pode também haver períodos de amenorreia (ausência da menstruação) de até 4 meses.
  • Altos níveis de testosterona (hormônio masculino) que resulta no hirsutismo, ou seja, aumento dos pelos no rosto, seios e abdômen.
  • Acne adulta, principalmente na região do mento (queixo). A acne na adolescência também pode ocorrer e é bastante severa.
  • Calvície.
  • Infertilidade.

A obesidade não é um dos sintomas, mas pode agravar a síndrome.

Síndrome do Ovário Policístico
Foto: Reprodução

Diagnóstico e tratamento da Síndrome do Ovário Policístico

Para se estabelecer o diagnóstico da SOP, são necessários os seguintes exames:

  • Primeiro é necessário descartar problemas na tireoide e nas glândulas supra renais.
  • Após o descarte dessas situações, deve ser feito o ultrassom transvaginal e a dosagem dos hormônios FSH, LH, Estradiol, TSH, S-DHE, Testosterona total, 17-OH progesterona.
  • Outros exames que poderão ser solicitados: curva de insulina associada à curva da glicemia.

Por se tratar de uma doença crônica, o tratamento da síndrome do ovário policístico é sintomático, ou seja, os sintomas é que são controlados. O tratamento também evita o agravamento das complicações, como o surgimento da diabetes do tipo 2, a obesidade e a acne.

Em adolescentes obesas e que apresentem pelos faciais, excesso de pelos corporais e acne grave devem perder peso. Em muitos casos, essa medida já é suficiente para reverter o quadro.

Nas adolescentes que não são obesas, será necessário o controle da testosterona através da utilização de anticoncepcionais. As pílulas também controlam a oleosidade excessiva da pele e o crescimento dos pelos.

Nos casos de infertilidade, as pacientes poderão ser tratadas com comifeno, que é um medicamento que estimula a ovulação. Caso essa medida não resolva, podem-se utilizar medicamentos com gonadotrofinas ou até uma cauterização via laparoscopia.

Algumas recomendações podem ajudar a paciente a conviver melhor com a SOP e a minimizar os sintomas:

  • Não deixe de consultar seu ginecologista regularmente e fazer os exames ginecológicos necessários;
  • Mantenha seu peso controlado e não se descuide. As mulheres portadoras da SOP podem desenvolver problemas cardíacos e a obesidade causa outras alterações que podem levar à sérias consequências.
  • Mantenha uma dieta saudável com o objetivo de controlar e manter os níveis de insulina na corrente sanguínea saudáveis.
  • Pratique atividades físicas regularmente. Isso não quer dizer que a paciente deve ir à uma academia todos os dia. Pequenas atitudes como subir escadas, brincar com os filhos e fazer caminhadas até o mercado ou à feira livre.

A Síndrome do Ovário Policístico é uma condição de certa gravidade que precisa de cuidados e tratamentos para que não haja complicações. Fique atenta!

 


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...