Rinite Alérgica


O nariz é o órgão responsável pela entrada de ar no organismo, e como consequência, também pela entrada das substâncias carregadas por ele. O nariz tem por função filtrar as impurezas e umidificar e aquecer o ar que vai chegar até os pulmões. Junto com o ar entra ainda substancias que são consideradas estranhas, que são chamadas de alérgenos. Portanto, rinite alérgica é uma doença caracterizada por uma reação imune exagerada do organismo contra essas partículas.

Numa analogia simples, o pó do ambiente seria como um assaltante entrando em casa (nariz), sendo assim, o organismo libera mastócitos carregados de IgE (que gravam essa resposta imunológica), para realizar a defesa da casa, o mais importante mediador liberado pelos mastócitos á a histamina e isso acaba causando os sintomas já conhecidos da rinite alérgica.

A pessoa com rinite alérgica tem IgEs específicas para quando entram em contato com pó, por exemplo, e assim apresenta congestão nasal, coriza, espirros em excesso e coceira na região do nariz, garganta e olhos. Se a pessoa for predisposta a ter asma, pode ainda apresentar falta de ar e cansaço.

Causas da Rinite Alérgica

Uma das principais causas de rinite alérgica no Brasil é a poeira doméstica. Nesta poeira é possível encontrar restos de pele humana descamada, bactérias, fungos e ácaros. Os ácaros são os mais responsáveis por causar rinite alérgica. Eles se acumulam em cobertores, lençóis, travesseiros, bichinhos de pelúcia e tapetes, por isso é importante realizar a troca e limpeza constante desses itens.

Fatores de risco à Rinite Alérgica

Uma pessoa que já possua outras doenças de origem alérgica está mais predisposta a ter rinite alérgica.

Ficar exposta a poeira, não realizar uma limpeza frequente nos ambientes com tapetes, bichinhos de pelúcia entre outros, também aumentam o risco.


Fatores genéticos também podem contribuir para o aparecimento de rinite alérgica, já que, se os pais apresentam rinite, a probabilidade dos filhos terem também é de 50%.

Outros fatores risco são:

  • Bebês que pararam precocemente com o aleitamento materno
  • Exposição frequente à fumaça do cigarro durante o primeiro ano de vida
  • Ser do sexo masculino
  • Exposição muito cedo a antibióticos
  • Poluição do ar
  • Frequentar locais pouco ventilados ou ensolarados

Sintomas da Rinite Alérgica

Rinite Alérgica

São sintomas comuns da rinite alérgica:

  • Espirros em excesso
  • Coriza
  • Nariz congestionado
  • Lacrimejamento
  • Coceira

Há ainda outros sintomas que podem ocorrer, mas não com tanta frequência, são eles:

  • Dor de garganta
  • Rouquidão
  • Tosse
  • Alteração do paladar e olfato

Com a exposição frequente a alérgenos, esses sintomas podem se tornar cada vez mais potentes, fazendo até com que uma pequena quantidade de alérgeno já seja capaz de gerar uma crise alérgica.

Diagnóstico de Rinite Alérgica

Muitos médicos podem realizar o diagnóstico de rinite alérgica, entre eles:

  • Clinico geral
  • Pediatra
  • Alergista
  • Otorrinolaringologista

Na hora da consulta é importante o paciente estar preparado para responder as questões que serão feitas, como os sintomas que acontecem, quando acontecem e com qual intensidade.

O teste de alérgenos pode identificar quais são os responsáveis pelo aparecimento dos sintomas. O que faz com que o tratamento seja mais específico e eficaz.

Entretanto, apenas um hemograma completo já é capaz de fazer um bom diagnóstico de alergias.

Tratamento da Rinite Alérgica

É importante ressaltar que além do controle dos sintomas da rinite alérgica o tratamento visa reduzir a exposição aos alérgenos que causam a doença. A limpeza dos locais é muito importante e deve ser realizada frequentemente, além de permitir que o local seja bem arejado e com entrada de luz solar para evitar a presença dos alérgenos. O tratamento medicamentoso envolve:

  • Soro Fisiológico: Nas reações alérgicas os alérgenos ficam aderidos na mucosa nasal, e a lavagem com soro fisiológico é importante para que eles sejam eliminados antes da aplicação de outros medicamentos.
  • Descongestionantes nasais: Esses tipos de medicamentos causam uma forte contrição nos vasos do nariz, o que faz com que a secreção de muco diminua causando um alívio dos sintomas. Entretanto, é importante ressaltar que esses medicamentos não devem ser utilizados por mais de três dias, já que causam dependência, fazendo com o nariz só se descongestione com o uso do medicamento. Os mais comuns no mercado são: Narix, Neosoro, Naridrin, entre outros.
  • Anti-histamínicos: A histamina é a responsável pelos sintomas da rinite alérgica, portanto, drogas que impeçam a ação da histamina são eficazes para reduzir o quadro de sintomas. Esses tipos de medicamentos são muito eficazes para diminuir espirros, coceira, lacrimejamento e a coriza. Os mais comuns no mercado são: Loratadina, Fexofenadina, Desloratadina, entre outros.

Outros medicamentos podem ser utilizados como corticoides nasais, que aliviam a congestão nasal e podem ser usados em associação com os anti-histamínicos. É importante dizer que esses medicamentos não devem ser utilizados por longo período de tempo, pois podem causar lesões na mucosa nasal, a não ser que haja um acompanhamento constante por um médico. As opções no mercado são igualmente eficazes como budesonida, fluticasona, beclometasona, entre outros.

Como opção também para o tratamento da rinite alérgica existe a imunoterapia, mais conhecida como “vacinas”, essa técnica consiste em aplicar pequenas doses do alérgeno causador da rinite alérgica para que o organismo comece a se acostumar com esse agente. Esse tratamento dura durante anos e não deve ser interrompido antes do previsto para que não haja risco de não ser eficaz.

Convivência com a Rinite Alérgica

É importante para o indivíduo com rinite alérgica evitar o contato com alérgenos e ter cuidados com a limpeza do ambiente. Esses métodos são fáceis e eficazes para se evitar crises de rinite alérgica. Siga as orientações medicas relativas ao tratamento e não o interrompa, a não ser que seja orientado nesse sentido.

É importante realizar o tratamento correto pois complicações podem surgir, como:

  • Otite
  • Sinusite
  • Ronco
  • Problemas do sono

Portanto, identificar uma crise de rinite alérgica e procurar aconselhamento médico é importante, já que somente assim será realizado um tratamento eficaz.

O paciente que tenha rinite alérgica deve evitar contato frequente com os alérgenos, já que este é o único método efetivamente comprovado de se evitar uma crise de rinite alérgica.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...