Pantoprazol serve para quê?


O pantoprazol é um medicamento que é utilizado para pacientes com problema de inflamação no tubo digestivo, ou para os que irão tratar uma úlcera gástrica e duodenal (no intestino), gastrite (inflamação no estômago) e esofagite de refluxo.

É indicado também em casos de gastroduodenites (inflamação do estômago e do início do intestino) agudas ou crônicas e dispepsias não ulcerosas (dores ou desconfortes localizados na região do estômago que não tem relação com a presença de úlceras).

O medicamento, que é apresentado em comprimido gastro-resistente de pantoprazol sódico 20 e 40 mg, alivia os sintomas causados por essas doenças, mesmo apresentadas de maneira crônica ou aguda, porque consegue reduzir a acidez do estômago.

Outra função importante é evitar a formação de lesões gastroduodenais que ocorrem por causa do uso de alguns medicamentos. Na maioria dos pacientes os sintomas o efeito contra os sintomas é eficaz.

O pantoprazol também é conhecido como “inibidor de bomba de prótons”, porque ele ajuda a diminuir a produção de ácido clorídrico no corpo humano, inibindo estrutura das células parietais (células que são específicas do estômago).

No entanto, como possui um sistema de auto inibição, a produção de ácido volta ao normal após três dias. O efeito da medicação vai diminuindo ao mesmo tempo em que a quantidade da secreção ácida também vai baixando.


Contraindicações

Antes de consumir qualquer tipo de medicação é importante que haja orientação médica. Não é aconselhável que ninguém se automedique, visto que não tem capacidade e conhecimento suficiente para saber os efeitos que este medicamento pode causar no organismo.

Não é diferente com o pantoprazol, é preciso que o uso dele só seja feito após indicação médica, até porque só um profissional poderá aconselhar sobre os riscos do uso em certos grupos considerados de risco, são eles:

  • Gestantes e lactantes (o uso de pantoprazol só deverá ser feito se não houver nenhuma outra medida, em caso de extrema necessidade);
  • Pessoas com hipersensibilidades aos componentes desse medicamento podem sofrer com graves crises de alergia, levanto até mesmo ao óbito;
  • Pacientes que estiverem fazendo uso do pantoprazol combinado para erradicação do helicobacter pylori, não podem ter qualquer tipo de disfunção hepática, ou renal de moderada a grave;
  • Crianças menores de 5 anos não devem fazer uso;
  • Não pode ser administrado ao mesmo tempo em que o atazanavir (medicamento utilizado no tratamento contra o vírus da AIDS).

Esses fatores de risco precisam ser levados a serio e de muita atenção. Caso sejam desconsiderados pelo paciente, podem ocasionar problemas graves que, como já mencionado, podem levar ao óbito.

Dosagem

pantoprazol

A pessoa indicada para te direcionar ao melhor tipo de tratamento é o seu médico. Só ele saberá seu caso em detalhes e poderá te receitar a melhor forma de utilização da medicação, tanto a dosagem quanto o período em que deve ser consumido.

Normalmente as dosagens para o uso do pantoprazol estão de acordo com o que listamos abaixo, mas é vital que as orientações de um especialista sejam consultadas e seguidas.

  • Para adultos: O que é normalmente recomendado para os adultos é um comprimido de pantoprazol (20 mg) uma vez ao dia. Na maioria das situações o alivio dos sintomas vem de forma rápida, mas o tempo de tratamento fica a critério do médico. Em caso de esofagite por refluxo leve, o tempo de duração é de, no máximo, 8 semanas;
  • Para crianças maiores de 5 anos, com peso igual ou maior que 15 kg e até 40 kg: Nesse caso a dose recomendada é de 1 comprimido (20 mg) uma vez ao dia, por no máximo 8 semanas;
  • Para crianças com peso corporal maior que 40 kg: Uma dose de 2 comprimidos (40 mg) por dia, por no máximo 8 semanas.

É importante que os comprimidos sejam ingeridos inteiros, com algum líquido. Ele não pode ser aberto, partido ou mastigado. É importante também que o tratamento não seja interrompido por conta própria.

Superdosagem

Apesar de não haver efeitos do consumo de uma superdosagem do pantoprazol, é necessário seguir o procedimento no caso de qualquer outro medicamento. Ir até a emergência médica mais próxima portando o medicamento (ou a bula) e informando a quantidade consumida e o horário que isso aconteceu.

Algumas recomendações para o uso do pantoprazol

É importante que antes de começar o tratamento, se tenha a certeza sobre a não existência de problemas como úlcera gástrica maligna ou doenças malignas do esôfago. O uso do pantoprazol causa alivio aos sintomas dessas doenças e isso pode dificultar um diagnóstico.

O uso deste medicamento pode aumentar a quantidade de bactérias presentes no trato gastrointestinal superior, levando a um risco maior de infecções causadas por bactérias (as mais comuns são Salmonella, Campylobacter e C. difficile).

Também pode aumentar riscos de fraturas relacionadas à osteoporose do quadril, punho ou coluna vertebral. Se o tratamento pelo qual o paciente é submetido for longo demais é recomendável que se tenha consulta regular com o médico especializado.

O uso desse medicamento pode causar tontura e até mesmo alguns distúrbios visuais, por conta disso é importante que o paciente não dirija e nem opere qualquer tipo de máquina.

Além dessas, existem outras recomendações que precisam ser levadas em consideração:

  • No caso de pacientes idosos: O medicamento pode ser consumido por pessoas com mais de 65 anos se a dose de 40 mg dia não for excedida;
  • Crianças acima de 5 anos: Nesse caso o tratamento precisa ser curto, com uma duração de no máximo 8 semanas;
  • No caso de pacientes com insuficiência hepática: Nesse caso o pantoprazol só pode ser utilizado tendo um acompanhamento médico regular e com uma dose de no máximo 20 mg por dia;
  • No caso de pacientes com insuficiência renal: Nesse caso a utilização do medicamento também precisará de acompanhamento médico regular e a dose não pode passar de 40 mg por dia.

Efeitos colaterais

Assim como qualquer outro medicamento, o uso pantoprazol causa alguns efeitos desagradáveis.  Apesar de a incidência ser pouca, alguns pacientes apresentam diarreia e dor de cabeça. Em situações mais raras pode haver problemas com o sono, alteração nas células do sangue e desorientação.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...