Lombriga: A doença de 3º mundo


O que é a lombriga?

Ascaris Lumbricoides, a lombriga, é da espécie de nematódeo e da família Ascaridíase. É o parasita humano responsável pela doença chamada Ascaridíase. Esta é a verminose mais disseminada no mundo inteiro!

Conhecida também como ascaridose, ascariose ou ascaríase, esta doença é muito comum em crianças. Apesar de ter um fácil método de prevenção, o número de infectados aumenta muito todo ano.

As lombrigas tem uma média de 20 a 35 centímetros, se forem fêmeas, e de 15 a 20 centímetros, se forem machos. Seu diâmetro é igual à de um lápis de escrever. Adultas podem viver de 1 a 2 anos. São vermes fusiformes, que possuem o tubo digestivo completo e não tem segmentação. A reprodução das lombrigas é feita de forma sexuada.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) há no mundo inteiro cerca de 1,38 bilhão de pessoas infectadas pela Ascaridíase. É um número assustador! Significa que um quinto da população tem esse parasita, a lombriga, hospedado no seu organismo.

Os países mais afetados são os considerados de terceiro mundo. A incidência da doença é maior na África Subsariana, na América Latina e na Ásia. Apesar de parecer uma doença simples, ela pode ter agravantes sérios que podem levar até a morte.

Causas comuns da contaminação

Os motivos mais comuns da contaminação é a falta de higiene e a utilização de fezes como adubo. É mais comum em países de clima tropical e subtropical e típica em países de terceiro mundo. A Ascaridíase faz parte do grupo de doenças designados de helmintíase.


A contaminação ocorre através da ingestão de ovos contaminados pelo parasita. Isso pode ser por meio do solo, da água ou de alimentos contaminados com fezes humanas. O homem é o único reservatório da lombriga e se ela estiver em um ambiente propício, pode continuar a contaminação durante anos.

Danos a saúde

Os ovos das lombrigas possuem cerca de 50 micrômetros, por isso é praticamente impossível que haja a percepção de que o alimento está infectado. Ao olho nu os ovos não conseguem ser notados.

A infestação das lombrigas, por exemplo, pode obstruir o canal intestinal e respiratório, levanto o indivíduo a óbito. Pode ocorrer também a forma errádica da infecção (onde há altas cargas parasitárias), quando as lombrigas vão para outros órgãos que não são naturais da infecção e podem provocar hemorragias internas.

Todo o ano, uma média de 2.700 pessoas morre por causa da Ascaridíase, no mundo.

Apesar de ser proveniente do mau saneamento básico, é comum ver pessoas infectadas pela doença em grandes cidades. No Brasil a doença é comum, tendo grande índice de casos em Salvador e Curitiba.

Sintomas

Mais de 85% dos casos de ascaridíase são assintomáticos. É muito difícil identificar quando alguém está sendo parasitado por lombrigas. Apesar disso é possível que em alguns casos se obtenha algum tipo de reação, dependendo do órgão contaminado. Abaixo listamos os sintomas mais comuns:

  • Dor de barriga;
  • Falta de apetite;
  • Obstrução intestinal (em caso de excesso do parasita);
  • Náusea;
  • Catarro com sangue;
  • Tosse;
  • Crise de asma;
  • Icterícia obstrutiva.

O diagnóstico da doença só é feito através do exame de fezes, onde os ovos das lombrigas ficam depositados. A melhor forma de prevenção são as medidas básicas de saneamento. É preciso também ter boa higiene pessoal, higiene com os alimentos que serão consumidos e combater a proliferação de insetos e moscas (pois eles podem ser intermediadores dos ovos).

O Ciclo da Lombriga no nosso corpo

lombriga

  1. Ingestão através do solo, água ou alimentos infectados produzirá ovos no tubo digestivo;
  2. Cada ovo irá se romper e liberar uma larva no intestino delgado;
  3. As larvas irão penetrar na parede do intestino e vão cair na corrente sanguínea, sendo levadas para órgãos como o coração, o pulmão e o fígado. A partir daí ocorrem mudanças de cutícula e elas se transformando, aumentando de tamanho;
  4. Quando estão nos alvéolos pulmonares, as lombrigas podem causar sintomas que se assemelham com a pneumonia;
  5. Passam então a se locomoverem até as bronquéias, traquéias, para a laringe e a faringe;
  6. A partir daí as lombrigas são deglutidas e atingem o intestino delgado. Lá elas crescem e atingem a fase adulta;
  7. Elas passam a se acasalar, e começam a se reproduzir. São liberados cerca de 15.000 óvulos por dia por uma lombriga fêmea. Desde a contaminação até esta fase de reprodução a duração média é de 2 meses;
  8. Os ovos são eliminados pelas fezes e dentro de cada um deles está havendo o desenvolvimento de um embrião que se tornará, posteriormente, uma larva;
  9. Os ovos que estão nas fezes contaminam a água e os alimentos que serão servidos como consumo humano.

Tratamento

Em alguns lugares o avanço da doença é enorme! Onde existe mais de 20% da população infectada, recomenda-se que o tratamento seja feito em todos os cidadãos em intervalos periódicos.

É comum que as pessoas que já tiveram lombriga voltem a ter a doença no período de um ano. Chegam a 80% os casos de pessoas que reincidem com a doença. Isso se dá a falta de cuidados com o que é ingerido.

A água precisa ser filtrada, mineral ou pelo menos fervida. Os alimentos bem lavados antes do consumo. Não se deve ficar descalço em lugares abertos e é necessário não colocar a mão suja na boca. São pequenos hábitos e cuidados que podem evitar um desgaste enorme com esse tipo de doença.

Não há vacina para o tratamento contra as lombrigas. A Organização Mundial de Saúde, a OMS, recomenda que o tratamento seja feito a base de medicamentos que consistem em albendazol, mebendazol, levamisol ou pamoato de pirantel. Há também outros medicamentos eficazes, como a tribendimina e a mitazoxamida.

Existem casos específicos onde é necessário haver procedimento cirúrgico para a retirada das lombrigas, devido à infestação delas no organismo humano.

Mesmo que o cidadão receba o tratamento através de medicações, ele não estará imune da doença. É preciso que todos, os que já foram infectados e os que nunca tiveram lombriga, se reeduquem na sua própria higienização e na higienização do que consomem.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (103 votes, average: 4,24 out of 5)
Loading...