Hipotireoidismo: O problema da falta dos hormônios


Nosso corpo é uma máquina e como tal precisa de cuidados e reparos. Quando alguma coisa do maquinário dele não vai bem, o que acontece? Partes passam a não funcionar, alguns defeitos começam a surgir. Ele dá sinais! Quando nosso corpo passa a ter dificuldade para emagrecer, sonolência e lentidão, você pode estar com hipotireoidismo.

Antes de falar sobre o hipotireoidismo é bom esclarecer algumas coisas. Muita gente acha que ter tireoide é uma espécie de doença. Mas não tem nada a ver com isso. A tireoide é um órgão do corpo humano que fica na região abaixo do pescoço, ao redor da traqueia. E sim, todo mundo tem.

É um órgão do sistema endócrino e é o responsável por toda a produção de hormônio do corpo humano. É bem pequeno, seu tamanho médio é de 15 ml, o que pode ser comparado a menos da metade de um copinho de plástico comum de cafezinho.

Existem dois hormônios em especial que são produzidos pela tireoide que atuam diretamente no funcionamento do nosso metabolismo (a forma como cada célula do nosso corpo gasta energia): é a triiodotironina (T3) e a tetraiodotironina (T4).

A produção desses dois hormônios é regulada por outro hormônio THS, que é produzido por uma glândula chamada hipófise. Quando os níveis dos T’s caem o THS aumenta no nosso organismo para minimizar a falta, quando os T’s aumentam o nível de THS cai. Ele funciona como uma espécie de interruptor.

É justamente quando o T3 e o T4 estão com níveis baixos no nosso sistema que o hipotireoidismo acontece!


Sintomas

O hipotireoidismo causará reações no seu corpo, mas como são coisas comuns a outros problemas, você pode acabar não dando a devida atenção. É essencial que exista o costume de observar o próprio corpo, suas reações e sempre estar em contato com médicos, fazendo exames e consultas periódicas.

hipotireoidismo

Listamos alguns dos sintomas mais comuns que podem vir sozinhos ou juntos:

  • Cansaço;
  • Sonolência;
  • Dificuldade para perder peso;
  • Raciocínio lento;
  • Unhas e cabelos secos e quebradiços;
  • Retenção de líquido;
  • Rouquidão;
  • Constipação intestinal;
  • Infertilidade.

Outras formas de contrair o hipotireoidismo

Além da deficiência dos hormônios T3 e T4 no organismo, outros fatores podem causar o hipotireoidismo no corpo humano. Independe do motivo da contração da doença, é importante saber que esse problema pode estar presente por um período curto (hipotireoidismo agudo) ou por um período longo (hipotireoidismo crônico).

Deficiência de iodo

O iodo é encontrado principalmente em frutos do mar. Ele tem papel importante na criação de hormônios no nosso organismo. A falta dele no nosso corpo é uma das causas do hipotireoidismo. No entanto, essa causa não é comum aqui no Brasil, onde o sal que consumimos é iodado por lei.

Mau desenvolvimento da tireoide

Durante a gestação é possível que o bebê tenha tido uma má forção da tireoide o que também é causa para o desenvolvimento da doença. Passa a se chamar hipotireoidismo congênito. Muitas crianças que tiveram a má formação no útero crescem sem apresentar sintomas o que pode ser prejudicial a sua saúde mais tarde.

Gravidez

Durante o processo de gestação, algumas mulheres acabam produzindo anticorpos que são voltados para a sua própria tireoide. Isso pode afetar e muito a produção de hormônios. Se o hipotireoidismo nesse caso não for tratado com os medicamentos corretos pode agravar e causar problema no desenvolvimento do bebê, pré-eclâmpsia (quando a pressão sanguínea da mulher sobe muito) e parto prematuro.

Zona de risco

Apesar de ser um problema que também pode acontecer com qualquer pessoa sem motivos aparentes, existem algumas características comuns entre portadores da doença. A partir daí uma zona de perigo foi criada. Observe abaixo quais são os fatores que também contribuem para que se adquira esse problema:

  • Ter 60 anos ou mais;
  • Ser mulher;
  • Ter dado a luz nos últimos 6 meses;
  • Usuários de medicamentos que afetem a produção de hormônio no corpo;
  • Portadores de doenças autoimunes;
  • Quem possui histórico familiar com portadores de doenças autoimunes;
  • Ter feito cirurgia na tireoide;
  • Ter passado por sessões de radioterapia;

Prevenção

Só existe uma causa específica onde o hipotireoidismo pode ser prevenido, em um recém-nascido. Através da triagem neonatal, pelo teste do pezinho, é possível identificar a doença e começar o tratamento logo cedo.

Infelizmente, fora nesse caso específico quando a doença é congênita, não existem métodos que sejam capazes de prevenir a contração desse problema hormonal. Ela pode vir a se instalar e você só perceber depois de um período (o que pode ser bem perigoso).

Por isso é muito importante fazer acompanhamento médico entre o período de pelo menos 6 meses. São os exames feitos periodicamente que podem lhe apresentar alguns problemas e ajudar no tratamento mais rápido, sendo assim mais eficiente.

Tratamento

A forma de tratar o hipotireoidismo é através da ingestão de medicamentos que regularizem seus hormônios. Isso provavelmente acontecerá por toda a sua vida. Será preciso consumir diariamente uma dose diária da versão industrial do hormônio da tetraiodotironina (T4): a levotiroxina.

Bem provável que o seu médico só prescreverá a dosagem correta desse medicamento após uma avaliação para verificação da quantidade do THS no seu organismo. Isso deve ocorrer após 2 ou 3 meses do início do tratamento.

Esse processo é muito importante porque o consumo da levotiroxina acima do que é suportado pelo organismo pode causar efeitos colaterais desastrosos e complicados. São eles:

  • Aumento de apetite (o que pode causar acúmulo de gordura);
  • Insônia;
  • Palpitações no coração;
  • Tremores.

Os resultados positivos do tratamento já podem ser observados com duas semanas após o seu uso. Os sintomas e os efeitos do hipotireoidismo são controlados até o momento que desaparecerão por completo. O uso dessa medicação também ajuda a baixar o nível de colesterol no organismo e reverter o ganho de peso.

É muito importante que a periodicidade do uso do medicamento não seja prejudicada, isso fará com que você volte a ter os sintomas do problema na tireoide e talvez seja necessário retornar ao médico para fazer uma nova dosagem.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (4 votes, average: 3,50 out of 5)
Loading...