Cloridrato de Fluoxetina


Não é segredo para ninguém que as doenças que mais crescem no mundo são as psicológicas, especialmente a depressão e a ansiedade. Só para termos uma ideia de como ela está aqui no Brasil, o índice de pessoas diagnosticadas com essas duas doenças é semelhante ao de países que vivem em estado de guerra, como a Síria.

Não à toa houve uma crescente curva no consumo mundial de antidepressivos. Um dos principais, senão o mais famoso e utilizado é a Fluoxetina, que trata uma boa quantidade de psicopatologias. Esse medicamento também possui outros nomes, comumente sendo chamados de Prozac ou Daforin.

Para que serve o Cloridrato de Fluoxetina

O cloridrato de fluoxetina indicado especialmente para tratamentos de psicopatologias. As doenças que este remédio trata que mais se destacam são:

Depressão (de qualquer tipo), bulimia nervosa, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), tensão pré-menstrual, transtorno disfórico pré-menstrual, ansiedade no geral, irritabilidade, síndrome bipolar, mal estar causado pela ansiedade (Disforia).

Além disso, o cloridrato de fluoxetina ajuda no controle hormonal, auxilia no tratamento psicológico e no controle de ansiedade de pessoas com transtornos de peso, ajuda a aliviar a dor no nervo ciático e também é útil para emagrecer por meio do controle de compulsões alimentares.

Como funciona o Cloridrato de Fluoxetina

Cloridrato de Fluoxetina


Antidepressivos, em geral, trabalham com a química do corpo. Isso porque situações de doenças psicológicas mexem com o organismo do corpo, mudando a quantidade de hormônios, entre outros. O cloridrato de fluoxetina, por sua vez, age recuperando a serotonina perdida no corpo. Mas o que exatamente é a serotonina?

Serotonina é um neurotransmissor, que por sua vez é uma espécie de uma substância que realizar a comunicação entre os neurônios. Esse neurotransmissor é um dos maiores responsáveis pelo humor, emoções, sono e apetite. Quando ele está em níveis menores do que o ideal, todos os sintomas de uma depressão vêm à tona. Os mais conhecidos são alterações no humor, sempre estando desanimado ou triste, comportamento atípico, além de na imensa maioria dos casos provocarem distúrbios no apetite e no sono.

O mecanismo de ação da fluoxetina é o mesmo de todos os antidepressivos inibidores seletivos da recaptação da serotonina. Vamos a uma rápida explicação.

O cloridrato de fluoxetina vai agir exatamente na recuperação de alguma parte da serotonina, que em uma crise de depressão (ou de outra doença) é descartada pelo corpo. Em outras palavras, a medicação age apenas pegando o que é do corpo e colocando no lugar.

Na maior parte das situações, o medicamento leva entre 10 e 20 dias para fazer efeito.

Como usar o Cloridrato de Fluoxetina (posologia)

Sendo um remédio utilizado para tratar divergentes tipos de transtornos, a fluoxetina possui uma posologia diferente para cada psicopatologia. Mas em todos os casos há algo em comum: ela é sempre administrada com comprimidos ingeridos via oral. Apesar de não ser necessário ingeri-la com alguma refeição, é indicado fazer isso para evitar mal estar ou enjoo.

Confira abaixo a posologia indicada para cada psicopatologia:

  • Para depressão, a dosagem indicada é de 20 mg por dia
  • No caso de bulimia nervosa, 60 mg por dia
  • Para transtorno obsessivo compulsivo (TOC), o indicado é 20 mg por dia
  • No transtorno disfórico pré-mentrual, 20 mg por dia. Neste caso, deve haver uma administração regular até durante o período menstrual. Ou então o uso deve acontecer após 14 dias após o primeiro dia do fluxo
  • Para outros tratamentos e terapias, a dose média diária varia entre 20 mg/dia a 40 mg/dia

É de suma importância ressaltar que a posologia máxima diária não deve ultrapassar 80 mg.

Composição

Cada um dos comprimidos de Fluoxetina de 20ml contém a seguinte dosagem: são 22,40mg de Cloridrato de Fluoxetina, número que equivale a 20ml de Fluoxetina ou daforin.

O revestimento e excipientes do medicamento geralmente são a base de silicona e amido. Também podem ser encontrados com fosfato de cálcio, celulose microcristalina, povidona, talco, estearato de magnésio, dióxido de silício, croscaramelose sódica, macrogol, dióxido de titânio e metacrilato de dimetilaminoetila,

Cloridrato de Fluoxetina emagrece ou engorda?

A resposta mais sincera é que pode acontecer os dois, mas não por efeito direto da medicação. Uma situação que acontece é a perda de apetite, que é um de seus possíveis efeitos colaterais. Apesar disso, não é saudável, já que é um processo onde o paciente pode estar deixando de ingerir importantes nutrientes, já que não come corretamente.

Ainda na linha do emagrecimento, é preciso lembrar que o cloridrato de fluoxetina ajuda a controlar a ansiedade e a compulsão alimentar, fazendo com o que o paciente coma menos (e dessa vez de maneira um pouco mais saudável).

Entretanto outro possível efeito colateral do cloridrato de fluoxetina é o aumento do apetite, fazendo com que o paciente coma mais do que o necessário. Nesse caso, ele realmente pode engordar.

Um efeito colateral que existe ao interromper a administração de Fluoxetina é geralmente engordar. Ao parar com a medicação, o médico irá indicar como proceder para que a interrupção seja saudável.

Contraindicação

A fluoxetina, assim como qualquer antidepressivo, pode trazer indesejáveis consequências para seus usuários. Então é importante nunca se automedicar, nem mesmo por decreto. Pessoas que possuem alguma série de pré-disposições ou sensibilidades ao cloridrato de Fluoxetina devem evitar ao máximo, já que os efeitos colaterais podem aumentar.

Existem alguns grupos de pessoas que fazer parte do grupo de risco, sendo elas: pacientes com arritmia, com dificuldades hepáticas, pessoas com mau funcionamento do fígado, pacientes com pressão intraocular elevada, pessoas com históricos de convulsões, pessoas com risco de glaucoma e diabéticos. Caso você pertença a um desses grupos, o médico vai indicar doses que não afetem seu organismo ou outros tratamentos.

No caso de gestantes e mulheres em período de amamentação, o médico irá informar se é seguro ou não ou então indicar outro medicamento. Menores de 18 anos e idosos também pode sofrer mais com o medicamento, especialmente os jovens, pois estão passando por um período de grande alteração hormonal.

Misturar cloridrato de fluoxetina com bebidas alcoólicas não é proibido, mas esteja ciente de que os efeitos colaterais causados pela medicação podem ser bastante intensificados.

Efeitos colaterais do Cloridrato de Fluoxetina

Antidepressivos são medicamentos extremamente fortes para o corpo e as vezes levam meses para seu organismo se adaptar a ele. Por isso, o paciente pode apresentar dezenas de efeitos colaterais no sistema digestivo, no sistema endócrino, nos sistemas hematológico e linfático, no sistema nervoso, no sistema respiratório, na pele e anexos, nos órgãos dos sentidos e no sistema urogenital.

Os principais sintomas que são perceptíveis à maioria dos pacientes são: náuseas, tremores, diarreia, sonolência, redução do apetite, ansiedade, insônia, diminuição da libido, suor em excesso (sudorese), insônia nos primeiros dias de tratamento, intensificação da sinusite, dor de garganta ou tosse, palpitação, diminuição da força muscular, visão turva, diminuição ou aumento de peso, boca seca, lentidão de movimentos e raciocínio, vertigem, instabilidade emocional, sonhos anormais (pesadelos), diminuição do apetite, urina escura, sobrecarga do fígado e alteração dos nível de açúcar no sangue.

Superdosagem

Alguns sintomas de superdose são a náusea, convulsões, vômito, disfunção cardiovascular (que é quando há variações que vão de arritmias assintomáticas até parada cardíaca) e disfunção pulmonar. Sim, a superdosagem de cloridrato de fluoxetina pode ser fatal, mas as situações de morte são extremamente raras.

Não há nenhum antídoto para a superdosagem, a não ser deixar o corpo absorver tudo até voltar a um estado normal no organismo. Verifique sempre se há mudanças na respiração e nos batimentos cardíacos, pois são nesses casos onde são observados os maiores problemas.

Precauções

Não são raros os pensamentos suicidas na cabeça de alguém que sofre de depressão. Com ou sem medicamento, essa classe de pessoas está sujeita a isso. Mas antidepressivos como um todo, e isso inclui o cloridrato de fluoxetina, podem intensificar o comportamento suicida, especialmente se tomado excessivamente ou em doses erradas, além da interrupção abrupta da medicação que pode intensificar tal sintoma.

O fator mais determinando é que o cloridrato de fluoxetina pode vir a interferir no método da capacidade de julgamento, pensamento e ação, as vezes confundindo o racional com o irracional. Em caso de perceber uma mudança ou estar confuso em relação a isso, consulte imediatamente seu médico psiquiatra.

Mulheres em período de amamentação devem sempre estar em contato com seu médico caso faça uso de cloridrato de fluoxetina, pois ele pode ser excretado pelo leite. Além disso, pessoas com pré-disposição a convulsão deve consultar o médico ao fazer o uso dessa medicação.

Interação do Cloridrato de Fluoxetina com outros remédios

A medicação deve ser administrada com cuidado por pacientes que façam uso dos seguintes medicamento: os que atuam com as enzimas produzidas pelo fígado; os que agem no sistema nervoso central, por exemplo carbamazepina, fenitoína, haloperidol, diazepam, clozapina, alprazolam, imipramina, lítio e desipramina; que se conectam às proteínas do plasma; aspirinas em geral e; anti-inflamatórios não estereoidais.

O cloridrato de fluoxetina junto com tratamento eletroconvulsivo pode gerar convulsões prolongadas. Junto com ervas medicinais, o cloridrato de fluoxetina pode aumentar os efeitos adversos.

Cloridrato de Fluoxetina Preço

O cloridrato de fluoxetina é sempre usado de via oral, sendo que em sua embalagem contém cápsulas de 20 mg e essas embalagens estão disponíveis com 14 e 28 cápsulas. O laboratório é a Medley.

O medicamento original pode ser encontrado por até R$ 80, enquanto os genéricos (que fazem o mesmo efeito e possuem a mesma eficácia) podem ser encontrados por R$ 15.

Esse medicamento recebe controle especial é necessária a apresentação de receita, esta que fica retida com o farmacêutico.

Pergunta dos leitores

Cloridrato de Fluoxetina da sono?

Um dos possíveis efeitos do cloridrato de fluoxetina é a sonolência. Sendo um sintoma comum, entre 1% e 10% dos pacientes relatam tal efeito. Entretanto o oposto também ocorre na mesma probabilidade. A insônia afeta os pacientes deste medicamento tanto quanto a sonolência.

Cloridrato de Fluoxetina serve para ansiedade?

Sendo um medicamento que trata diversas psicopatologias, o cloridrato de fluoxetina pode tratar com eficácia a ansiedade. Entretanto a própria ansiedade é um dos possíveis efeitos colaterais do medicamento. No caso de pessoas que já sofrem de ansiedade, o sintoma pode ser intensificado, enquanto nos que não sofrem possam passar a sofrer.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...