Cisticercose: A doença causada por um parasita


Cisticercose é uma doença originária pela ingestão de ovos do parasita Taenia solium. Quando o indivíduo faz essa ingestão, após 3 dias os ovos se transformam em larvas que se movimentam pelo sistema sanguíneo e se alojam pelos tecidos do corpo, como coração, cérebro, olho ou músculos. Esse alojamento causa cistos que incham, inflamam e são responsáveis por problemas neurológicos.

A doença pode ser identificada também como cisticercose cerebral ou neurocisticercose, quando os parasitas conseguem entrar no sistema nervoso. Os tipos são diferenciados pelos sintomas causados e pela gravidade do problema.

É preciso ficar atento aos sintomas causados pela presença do parasita principalmente no coração e no cérebro, que podem levar o indivíduo a óbito. No caso dos olhos, o alojamento da Taenia pode causar cegueira irreversível.

Ciclo de vida da Cisticercose

O principal agente transmissor da doença é o próprio homem, além de ser o principal hospedeiro do parasita. A contaminação acontece assim que a ingestão dos ovos da larva Taenia é feita. Quando esses ovos chegam até o estômago do indivíduo, pequenas larvas são liberadas e passam pela mucosa gástrica até chegarem à corrente sanguínea.

É através do sangue que essas larvas transitam pelo corpo humano até alcançar os tecidos. É mais comum que se aloje no coração, cérebro, olhos e músculos. Quando elas chegam a esses locais elas passam a se desenvolver e causar inflamações, inchaço e cistos. São as fezes da pessoa infectada que contaminam outras pessoas.

Por isso é muito importante evitar qualquer atitude que possa te expor ao contato com fezes humanas. Mais abaixo falaremos as formas de prevenção da doença, que são simples e devem ser feitas por todas as pessoas.


cisticercose

Quais são os sintomas da Cisticercose?

Existem pessoas que tem a cisticercose e não apresentam nenhum tipo de sintoma, em outros casos os sintomas são tão severos que levam a óbito. No caso do paciente que apresenta sintomas, os tipos variam de acordo com a forma e intensidade da doença. Dependendo de onde a cisticercose acontece os sintomas poderão variar.

  • Cisticercose no músculo: Quando o parasita se aloja no músculo ele causa inchaço, dor local, inflamação e dificuldade de movimentação;
  • Cisticercose no cérebro: Quando o alojamento acontece no cérebro, a doença pode causar dor de cabeça, confusão mental e convulsão;
  • Cisticercose ocular: O alojamento do parasita nos olhos causa perda de visão, problemas sérios de vista e cegueira.

Outros sintomas também podem ser comuns em todos os tipos da cisticercose, como dificuldade de respirar, palpitação, coma, papo e papo.

Diagnóstico

É muito importante que o aparecimento dos sintomas levem o paciente de forma imediata a uma consulta médica. De todos os tipos de cisticercose, a que acontece no cérebro é a que mais preocupa. Uma simples dor de cabeça pode ser um índice de uma fatalidade irreversível.

A importância da procura médica é grande justamente por isso, a cisticercose nos casos mais graves não tem tratamento e os seus efeitos não tem volta. O médico irá fazer uma série de perguntas para identificar todos os sintomas apresentados, no entanto só isso não será suficiente para ter o diagnóstico preciso da cisticercose.

O paciente precisará fazer uma série de exames que identificando o problema. Entre os exames solicitados estão as radiografias, biópsia, exame do líquido cefalorraquidiano, tomografias computadorizas e até exame de sangue (mesmo não sendo o mais preciso na identificação da doença).

Tratamento

O tratamento depende muito do nível da doença e de onde ela está ocorrendo. Quando é uma forma leve, o tratamento nesse caso é feito através do uso de antiparasitários e anti-inflamatórios. Quando a cisticercose é simples o tratamento é rápido.

Quando o problema é mais grave, porém, no caso de ter causado danos no coração, no cérebro ou causado cegueira, o tratamento é delicado e em muitos casos não há forma de cuidado. Nesses casos o tratamento é feito por meio de uma cirurgia que remove a área infectada.

Após a infecção pelo consumo dos ovos da larva, o período de incubação varia entre 15 dias. A cisticercose precisa ser considerada e tratada de forma imediata, por mais que em alguns casos seja uma doença simples em outros pode levar à morte ou a cegueira.

Consulte o médico assim que os sintomas aparecerem. O diagnóstico rápido é essencial para a eficácia do tratamento. Por mais que existam várias informações sobre tipos de tratamento alternativo para esse tipo de problema, seguir o que um profissional de saúde especializado recomenda é vital.

Como prevenir a cisticercose?

A prevenção dessa doença é feita basicamente através de cuidados higiênicos. Como o problema é causado pela ingestão dos ovos de um parasita, é importante evitar as formas de contaminação. Selecionamos alguns dos cuidados necessários para evitar o problema:

  • Lavar as mãos constantemente, principalmente antes de fazer refeições e ao usar o banheiro;
  • Evitar levar a mão à boca;
  • Evite andar descalço;
  • Ingerir somente água filtrada, fervida ou mineral;
  • Não consumir alimentos com origem duvidosa;
  • Lavar bem as frutas, legumes e verduras antes do consumo;
  • Evite consumir carnes cruas ou mal passadas;
  • Não utilize fezes humanas como adubo (caso tenha plantação);
  • Consulte um médico e faça exames de rotina periodicamente;

Não se automedique

Doenças causadas por parasitas tendem a ser tratadas como algo simples e por isso, mesmo com o diagnóstico do médico e com as recomendações de tratamento, muita gente resolve ingerir os remédios da forma que lhe parece mais conveniente.

É essencial para que o tratamento funcione ele seja seguido á risca. Dosagem e período de tratamento são muito importantes. No entanto, algumas pessoas deixam de consumir os remédios assim que os sintomas desaparecem. Esse é um grande erro porque, na maioria dos casos, quando o sintoma desaparece o parasita ainda está alojado no organismo.

Ao interromper a medicação o parasita se torna mais forte e resistente, causando sintomas em níveis ainda mais fortes. Usar medicamentos por conta própria também poderá causar efeitos colaterais desastrosos e até mesmo levar a uma overdose que pode causar o óbito. Consulte-se com um especialista e siga suas orientações.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (4 votes, average: 3,50 out of 5)
Loading...