Cirurgia bariátrica


A cirurgia bariátrica, também conhecida como cirurgia de redução do estômago acontece quando a obesidade chega a um nível severo e as atividades físicas não fazem mais efeito. A intervenção médica como a cirurgia bariátrica só é recomendada para pacientes com a massa corporal superior a 40.

Todos sabemos que o peso excessivo acarreta diversos males a saúde entre eles: diabetes, hipertensão e disfunções respiratórias. Antes de realizar uma cirurgia tão séria como essa o paciente deve passar um por um estudo clínico que engloba reeducação na forma física, nutricional e psicológica.

Onde surgiu a cirurgia bariátrica?

Estudos afirmam que a primeira cirurgia de redução aconteceu em 1954 e foi realizada por Kremen e Liner. Na época, para o procedimento de diminuição do peso foi utilizado o by-pass, uma espécie de desvio do intestino.

Já em 1982, a inserção de um método cirúrgico revolucionou a operação: a gastroplastia vertical com bandagem. Nos anos 90 mais uma novidade ganhou o mercado científico. O método usava mecanismos associados à restrição do alimentos e má assimilação dos nutrientes.

É importante destacar que a cirurgia bariátrica não é estética. Ela irá alterar os hábitos alimentares e melhorar a qualidade de vida do paciente, produzindo uma rotina mais saudável. Vale salientar que o método da operação é radical e só são realizadas em condições extremas, quando a pessoa não consegue perder peso sozinho e a obesidade já está apresentando risco de morte.

O que é necessário para a cirurgia bariátrica?

Há algumas condições para os pacientes realizem a cirurgia. Entre eles é importante destacar:


  • Ter entre 16 a 60 anos;
  • Histórico comprovado que não consegue perder peso;
  • Estar acima dos 45 quilos do peso ideal ou como índice de massa corporal (IMC) superior a 40;
  • Pacientes com IMC de 35, porém com problemas de saúde por causa da gordura;
  • Não ter nenhum tipo de doença;
  • Um longo processo de avaliação clínica e exames pré-operatórios;
  • Pessoas com cirrose hepática, problemas de pulmão, insuficiência renal e lesões no músculo cardíaco, não devem se submeter a cirurgia bariátrica.

Antes da cirurgia o paciente passará por diversas avaliações para que não haja nenhuma complicação no momento da cirurgia. Qualquer sinal de diabetes, doenças do fígado, alterações das gorduras sanguíneas, artroses, problemas circulatórios e doenças respiratórios deixará o paciente inapto para o procedimento.

Normalmente a cirurgia bariátrica é dividida em dois tipos:

Abordagem aberta – Quando é realizado uma incisão no abdômen – e a videolaparoscópica – quando é inserido uma câmera no abdômen e o médico consegue visualizar a cirurgia através do monitor. No segundo caso a recuperação é mais rápida e o pós-operatório menos doloroso.

Pós-operatório da bariátrica

Como em todo e qualquer cirurgia, o pós-operatório é sempre muito importante e necessita de diversos cuidados para ajudar no processo de cicatrização e de adaptação ao seu novo estilo de vida.

Nos primeiros dias de cirurgia o recomendado é ingerir somente líquidos e bem lentamente. É muito importante não consumir nenhum um tipo de açúcar, pois pode ser fatal para saúde de quem acabou de operar.

O curativo do corte, feito para cirurgia, deve ser trocado todos os dias e mantido limpo e seco. Após alguns dias é indicado a prática de exercícios moderados, apenas caminhada e nada de pegar peso.

Complicações da cirurgia bariátrica

Para quem realizou recentemente a cirurgia é normal sentir algumas complicações. Entre os sintomas mais aparentes estão:

  • Inchaço abdominal;
  • Embolia pulmonar;
  • Distúrbios nutricionais;
  • Hérnias;
  • Náuseas e vômitos;
  • Pneumonia;
  • Evacuação fétida, entre os sintomas.

Por que é necessário acompanhamento psicológico?

cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica traz drásticas mudanças ao organismo e o acompanhamento psicológico se torna imprescindível. O tratamento ajudará o paciente a aceitar de maneira correta sua nova forma de vida e refletir sobre a sua personalidade, facilitando assim a adaptação.

Qualquer psicopatologia grave ou dificuldades para entender o processo da cirurgia indicará que o paciente não tem condições de operar.

O pós-operatório é sempre mais difícil e o psicólogo deverá estar presente nessa fase, reforçando as limitações alimentares fazendo com que o paciente entenda melhor as restrições. Juntamente com o psicólogo, a família tem um papel importante no momento de auxiliar a pessoa nas dificuldades e medos.

Recuperação da cirurgia bariátrica

A recuperação da bariátrica acontece dentro de seis meses a um ano. O paciente perde entre 10 a 40% do peso inicial.

No primeiro mês de cirurgia o paciente apresentará náuseas, vômitos, diarreias e dor no abdômen. Isso acontecerá com mais frequência após as refeições devendo ser redobrado os cuidados e a prática de exercícios físicos.

O paciente também deverá estar apto aos exercícios respiratórios para prevenir as complicações no sistema de respiração.

Dieta para cirurgia bariátrica

Depois que da cirurgia o operado irá se alimentar pela veia através do soro. Somente dois dias após a operação poderá beber água e chás. Esse procedimento deverá acontecer a cada 20 minutos e em pequenas quantidades – aproximadamente um copo de café de cada vez. Mesmo em pequenas quantidades o estômago, que estará super sensível, refletirá a dor.

Cinco dias após a cirurgia bariátrica o paciente começa a aceitar melhor alimentos líquidos e já poderá comer coisas pastosas (pudim ou creme). Quando completar um mês do procedimento a pessoa já pode comer alimentos sólidos, desde que siga as orientações do médico e não peque pelo excesso.

O profissional da saúde também poderá receitar um multivitamínico (Centrum, por exemplo). Geralmente os pacientes que se submetem a essa cirurgia perdem muitas vitaminas juntamente com o processo de emagrecimento. Também se vão as vitaminas do complexo B e ácido fólico.

Curativo da cirurgia

Tenha muito cuidado com o curativo da cirurgia e jamais o deixe úmido. Uma infecção nessa altura do campeonato pode complicar a situação. Com a colocação da banda gástrica ou by-pass, o paciente deverá proteger as cicatrizes e trocar os curativos com um enfermeiro uma semana após a cirurgia. Nessa fase, o curativo não poderá ser molhado. Depois de 15 dias a pessoas deverá procurar o seu médico e retirar os agrafos ou os pontos. Para hidratar a cicatriz recomenda-se aplicar muito creme.

Lembre-se que a cirurgia bariátrica só é indicada para casos extremos. Procure um médico e manifeste o seu desejo em operar, somente ele poderá dizer se a sua necessidade é cirúrgica.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (No Ratings Yet)
Loading...