Amitriptilina: Antidepressivo e Inibidor de Enurese


Criado em 1960, e sendo legalizada em 1961 nos Estados Unidos, a Amitriptilina é um antidepressivo tricíclico (ADT) que está na lista da Organização Mundial de Saúde (OMS) como um dos seus medicamentos essências para a humanidade.

Esse medicamento é mais recomendado em caso de depressão de espectro monopolar, mas existem outras formas de depressão que o médico pode achar válido o uso dele. Ele também é utilizado no tratamento de crianças contra a enurese (ato de fazer xixi na cama).

Nunca tome um medicamento sem orientação médica, isso pode causar problemas sérios. A Amitriptilina, por exemplo, é contra indicada para alguns grupos que só um especialista vai poder te informar. Aqui são eles:

  • Se for alérgico aos componentes que fazem parte do medicamento;
  • Tiver sofrido infarto nos últimos 30 dias;
  • Estiver fazendo algum tipo de tratamento com cisaprida;
  • Estiver ingerindo algum tipo de medicamento antidepressivo que iniba a monoaminooxidade (IMAO);
  • Criança abaixo de 12 anos para tratar a depressão.

Ao fazer uso desde medicamento é importante que o paciente não dirija veículos ou manuseie máquinas. Ele altera o estado de alerta e pode causar acidentes.

Dosagem

Para efeitos antidepressivos

  • Dosagem inicial para adultos em ambulatórios: Cerca de 75 mg por dia em doses fracionadas. É possível que haja aumento gradual até 150 mg por dia. Ao aumentar as doses é recomendado que seja feito nas dosagens ao início da noite ou na hora de deitar. Pode iniciar o tratamento também com uma dosagem de 50 a 100 mg a noite, na hora de se deitar, tendo a possibilidade de aumentar de 25 a 50 mg por noite até o total de 150 mg por dia;

  • Dosagem para manutenção de adultos em ambulatórios: Entre 50 a 100 mg por dia, preferencialmente e uma dosagem única feita à noite. A partir do momento que o paciente for melhorando é preciso diminuir a quantidade ingerida gradualmente. Para reduzir a chance de haver uma recidiva é necessário que o tratamento continue por pelo menos 3 meses;
  • Dosagem para pacientes hospitalizados: Começar com até 100 mg por dia, podendo aumentar para a dosagem de 200 mg, caso haja necessidade. Alguns pacientes tem necessidade de uma dosagem de 300 mg por dia. Quem irá analisar é o médico;
  • Dosagem para adolescentes e idosos: Esses dois grupos de pessoas possuem pouca tolerância a esse medicamento, por conta disso recomenda-se doses de 10 a 50 mg por dia. Essa dosagem pode ser fracionada ou em dose única, sendo ingerida preferencialmente antes de dormir.

Para o tratamento da enurese noturna

  • Recomenda-se doses de 10 a 20 mg por dia, ao se deitar, para crianças de 6 a 10 anos, e doses de 25 a 50 mg, ao se deitar, para crianças a partir de 11 anos. Possivelmente a criança já irá responder de forma positiva nos primeiros dias e a melhora será contínua.

Obs: É muito importante que o tratamento seja seguido à risca, sem interrupções bruscas. Interromper o uso do medicamento pode causar enjoos, fadiga, náuseas e fará com que os sintomas depressivos e de enurese retornem e de forma mais forte. Siga as recomendações do seu médico e qualquer dúvida entre em contato com ele!

Efeitos colaterais da Amitriptilina

Todos os medicamentos possuem algum tipo de efeito colateral. Por isso é importante que se tire todas as suas dúvidas com o seu médico antes de começar a consumir o produto e que faça a leitura da bula.

Listamos abaixo alguns efeitos que o uso da Amitriptilina por causar:

  • Queda de cabelo;
  • Perda de interesse sexual;
  • Boca e olhos secos;
  • Secura vaginal;
  • Palpitação;
  • Taquicardia;
  • Desorientação;
  • Alucinações;
  • Tremores e formigamentos nas extremidades;
  • Distúrbio na fala;
  • Ganho de peso;
  • Tontura;
  • Fadiga;
  • Insônia;
  • Retenção urinária;
  • Alteração no nível de glicemia (tanto pode aumentar quanto baixar).

Amitriptilina emagrece ou engorda?

amitriptilina

O uso da Amitriptilina pode causar tanto o ganho de peso quanto a perda. Na verdade os dois estão listados nos possíveis colaterais que o tratamento pode causar. Por isso é preciso ter muito cuidado e atenção a todos os sintomas que seu corpo irá apresentar durante o tempo.

O paciente pode engordar porque o ganho de peso e o aumento de apetite são desencadeados por conta da ingestão desse medicamento. Dessa forma existe um aumento nas calorias ingeridas em cada refeição.

Além disso, sonolência, fraqueza e fadiga também podem aparecer como sintomas, o que fará com que o paciente fique indisposto  e se sinta mais cansado, inibindo assim a vontade de fazer atividades físicas e colaborando para um estado de sedentarismo.

O processo vira uma bola de neve, o paciente terá mais vontade de comer, de forma desenfreada, está menos disposto a praticar exercícios, o que causará um gasto calórico corporal muito menor, resultando em ganho de calorias.

Em contra partida, o uso da Amitriptilina também tem como efeito colateral o emagrecimento excessivo. Nesse aspecto é preciso tomar ainda mais cuidado porque pode desencadear distúrbios alimentares sérios, como a anorexia.

A pessoa que contrai a anorexia tem uma visão distorcida do seu próprio corpo, na sua mente ela está sempre muito gorda. O medo de ganhar peso é muito grande, o que faz com que as pessoas que tem esse distúrbio quase não se alimentem.

A anorexia pode levar a morte e tem se tornado uma doença muito comum nessa sociedade que se preocupa demais com estar dentro dos padrões de beleza estipulados. É preciso ter muito cuidado, porque o paciente não reconhece que está passando por problemas.

Nas duas situações é necessário que o médico seja consultado imediatamente! Além disso, alimentar-se de forma saudável, ingerir bastante líquido e se esforçar para manter uma rotina de exercícios também pode ajudar muito nessas situações.

Superdosagem

Qualquer medicamento se for ingerido em grandes doses pode causar problemas no organismo humano. Por isso, assim que você perceber que ingeriu a Amitriptilina de forma excessiva se encaminhe para um centro médico com urgência.

Nesses casos é importante que você leve com você, a caixa do remédio ou pelo menos a bula, para que os socorristas de plantão saibam exatamente a melhor forma de tratamento para te ajudar.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

Péssimo! Não gostei de nada!Ruim!Gostei, ta na média!Muito bom!Excelente! (7 votes, average: 4,57 out of 5)
Loading...